Sexta-feira, 26.09.08

De recipiente de mel para vaso

stanley honey

A moda da protecção ambiental está a despertar a criatividade ecológica de várias pessoas. Isto é óptimo porque ajuda a consciencializar as pessoas para a necessidade de proteger o ambiente.

Eu já deixei aqui alguns exemplos desta criatividade com foco na protecção ambiental. O último foi sobre os bonecos, feitos em silicone biodegradável, que tinham sementes a fazer de olhos e podiam ser semeados.
Hoje, deixo aqui outro exemplo: um recipiente com mel em forma de vaso que pode ser reaproveitado para... vaso. Quando acabarem de comer o mel, podem encher o recipiente/vaso com terra e colocar lá uma planta ou um bonsai, se preferirem.

Este recipiente/vaso foi desenhado pela The Partners para a Stanley Honey. Nos Estados Unidos é certo que vai estar disponível, porque a empresa é americana. Por cá, não sei, mas duvido que venhamos a ver este recipiente/vaso nas prateleiras dos estabelecimentos comerciais.

via Why Me?

Quarta-feira, 17.09.08

Greenpeace e Mark Jenkins unem-se em campanha de sensibilização a favor dos ursos polares

urso polar sem abrigo

O Greenpeace e o artísta Mark Jenkins estão a levar a cabo uma campanha de sensibilização para os problemas que o aquecimento global e "sede" de petróleo estão a causar ao urso polar.

A campanha está a decorrer nas ruas da capital norte-americana, Washington D.C. Quatro estátuas, espalhadas em diferentes pontos da cidade e com diferentes mensagens, usam cabeças de urso polar em figuras humanas, para tentar, em conjunto com as mensagens, despertar mais pessoas para os problemas que estes animais enfrentam.

Algumas das mensagens presentes nas estátuas de Mark Jenkins são: «S.O.S.» e«Victim of Oil Addiction" and "Global Warming Refugee. Help a brother out?».

via The Huffington Post

Domingo, 07.09.08

Gadgets poderão estar a causar um forte impacto negativo na natureza

Se a sobrevivência das abelhas, das aves e de outras espécies animais depende-se da diminuição do nosso uso da tecnologia (telemóvel, computador, televisão, etc...), estaríamos dispostos a fazê-lo?

Eu, até certo ponto, estaria: não deixaria de usar o telemóvel e o computador, mas passaria a utilizá-los apenas quando fosse necessário. Isto significaria que ia deixar de jogar os jogos que tenho no telemóvel quando estou numa qualquer sala de espera e de fazer chamadas com pouca ou nenhuma importância, e que só ligaria o computador quando fosse necessário. Causar-me-ia algum transtorno? Nem por isso.

{Electronic smog 'is disrupting nature on a massive scale'}

publicado por brunomiguel às 23:36 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Segunda-feira, 09.07.07

Live Earth, a auto promoção verde

natureza1Vários palcos espalhados pelo mundo, vários artistas e personalidades convidados, o político verde Al Gore e todos eles a pedir para "Salvarem o Futuro" e a pedir para pensarem nas criancinhas (espero que a Floribella não tenha a patente sobre isto), enquanto 2 mil milhões de pessoas assistiam.
O evento Live Earth foi aproveitado pela organização para pedir aos lideres mundiais a criação de um tratado onde se comprometem a reduzir as emissões de gases tóxicos em 90% até 2050. Só os Estados Unidos são responsáveis por 30% dos gases tóxicos libertados para a atmosfera e a China responsável por 750 mil mortes prematuras, por ano. São números assustadores, não são?! Mas o evento também foi aproveitado para muitas estrelas se auto-promoverem e fazerem circo de um assunto sensível. São muito bonitas aquelas palavras de ordem do tipo “Save the Planet”, “Save Tomorrow”, etc, mas é só show-off e se não é sentido não entra no ouvido. O pessoal que dá a cara todos os dias pela conservação do planeta é que devia ter falado, mas esses estiveram estranhamente ausentes do evento...
É sabido que muitos dos artistas que actuaram nas várias cidades mundiais se deslocaram de jacto privado, deixando pelo caminho uma boa quantidade de gases tóxicos na atmosfera, mas se fossem de carro deixavam à mesma; não é por aí. E, como a Xuxa disse no palco brasileiro, todos nós somos culpados pelo actual estado do planeta, nem que seja só por não fazermos nada para ajudar. Eu também sou um pouco culpado pelo estado do planeta e tenho perfeita consciência disso. O meu computador e o router raramente são desligados, costumo demorar um bocado no banho e, às vezes, deixo a iluminação de uma divisão onde não está ninguém ligada. E depois tenho o carro que, apesar de raramente andar com ele e de ser um ecotech 1.0, ainda manda uns bons gases para a atmosfera.
Não quero parecer muito dramático ou muito extremo, mas se não fizermos nada, daqui a uma década isto está tudo virado do avesso. Porra, ainda no início da semana passada caíram uns pingos e no final da semana estava um calor do caraças. Vejam só isto, chuva em Julho. E à dois anos atrás, quando tivemos aquele Inverno seco?! Temos o tempo todo marado e as estações do ano já são uma recordação do passado. Enquanto não se acabarem com os interesses político-económicos, não vamos conseguir travar a degeneração do planeta. Nem mesmo com as lâmpadas económicas e deslocações de bicicleta. Mas acabar com estes interesses é o mesmo que Bush e a sua administração deixarem de ser megalómanos: quase utópico.
Espero que, ao menos, uma das mensagens passadas pelas estrelas, que nem deviam saber do que estavam a falar e nem porque lá estavam, tenha ficado no ouvido de algumas pessoas e comece a correr a blogosfera que nem o bip-bip porque, se não correr a blogosfera, dificilmente terá impacto.

edit: obrigado ao José Rocha pela chamada de atenção sobre o erro no número de pessoas que assistiram ao evento.

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

posts recentes

arquivos

links