Segunda-feira, 19.04.10
Terça-feira, 02.09.08

Os perigos de partir do princípio que tudo o que lemos, ouvimos e vemos na internet é verdade

Ontem, vi uma reportagem que relatava o desaparecimento de uma pita com uns 16 anos, que me deixou boquiaberto. Nesta reportagem, os jornalistas começavam a afirmar que a miúda estaria, muito provavelmente, a ser violada, apesar de também dizerem que a polícia não sabia o que se passava. Depois, a pivot diz em directo aos pais que a miúda, como é bonita, está quase com toda a certeza a ser violada. Segundos depois, mostram o resultado de uma votação sobre o que poderia ter acontecido à jovem desaparecida.

Depois de ter visto alguns vídeos da Fox News, eu parti do princípio que este vídeo era, muito provavelmente, de algo que tinha realmente acontecido - que não era um hoax -, mas mantive alguma desconfiança. Por isso, decidi mostrá-lo ao meu irmão, que mostrou muita desconfiança em relação a ele. Como ele desconfiou da veracidade do vídeo e eu não estava 100% seguro em relação à reportagem, fui tentar saber o que raio é a Onion News e descobri que é «an American "fake news" organization», ou seja, uma agência - se é que lhe podemos chamar isso - noticiosa que se dedica à criação de notícias falsas, normalmente humorísticas.

Agora que sei que o vídeo é de uma notícia falsa, rio-me um bocado à pala ele. Mas, por momentos, pensei que algum canal televisivo estivesse a tentar imitar a Fox News e a recorrer a práticas cada vez mais frequentes de quem tem formação jornalística (mas que de jornalista tem muito pouco ou nada). Valeu-me o meu cepticismo e o hábito de pedir opiniões a outras pessoas sobre determinado assunto, para tentar ver as coisas de outro prisma. Se não fosse isso, a esta hora estava aqui a escrever um post a criticar, de forma bastante áspera, o trabalho pseudo-jornalístico daquele canal.

O vídeo, em formato Ogg Theora, pode ser descarregado aqui.

publicado por brunomiguel às 14:40 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Quinta-feira, 26.07.07

ArsTechnica nova abre secção dedicada ao movimento open source

O conhecido site ArsTechnica, fonte de muitas das minhas notícias, abriu uma secção dedicada ao movimento do software livres, que vem substituir a coluna Linux.Ars.
Esta nova secção, chamada Open Ended, vai funcionar como um jornal, onde serão anunciadas as novidades de vários projectos livres, serão feitas reviews, será dado a conhecer software novo e serão anunciados eventos.
Ars Technica is very pleased to announce the launch of Open Ended, our new journal dedicated to Linux and open-source software. Our diverse team of open-source software experts will provide timely and relevant information and commentary about the topics that matter to open-source software users, enthusiasts, developers, and system administrators.
Open Ended will include coverage of ongoing development activity on key projects, short reviews of new software releases, information about ongoing or upcoming events that relate to open-source software, analysis of emerging open-source software development trends, and much more. Longtime Ars readers should think of this as the metamorphosis of our popular Linux.Ars column into a fully-fledged Ars Journal.
publicado por brunomiguel às 23:26 | link do post | comentar
Quarta-feira, 27.06.07

Google News com versão web2.0

O agregador de notícias Google News tem uma nova versão, uma versão web2.0. Nesta nova versão temos uma secção com imagens sobre os vários artigos e uma barra lateral com os títulos dos mesmos. Quando passamos o rato por cima de uma imagem, um trecho desse artigo é destacado com uma animação na barra lateral; quando fazemos o inverso, ou seja, passamos o cursor do rato por cima de um título da barra lateral, esse campo expande para mostrar o trecho da notícia e a imagem é destacada com um fundo cinza. Esta nova funcionalidade também está disponível na pesquisa de notícias.
google_news_2.0
Infelizmente, esta nova versão não permite escolher os temas; só mostra as notícias de destaque dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e China. Mas não se preocupem, as versões de texto e padrão estão disponíveis.
Uma coisa que reparei por acaso, quando mudei para a versão padrão, foi nas notícias recomendadas para mim. Deve ser por ter uma conta no blogger.

{Fonte: Google Operating System}
publicado por brunomiguel às 01:07 | link do post | comentar
Terça-feira, 26.06.07

iBought media?

O José Rocha escreveu um post no seu blog sobre a compra de artigos em blogs mainstream. Parece que a Microsoft tem andado a comprar a opinião de vários bloggers famosos e dos meios de comunicação "tradicionais".
Enquanto a primeira é grave, não é novidade, porque já à algum tempo que existem vários sites onde as empresas pagam por reviews positivas de bloggers (com o montante recebido a variar consoante o impacto do blog), a segunda é gravíssima. Os meios de comunicação tradicionais (neste caso, os media americanos), que deviam ser isentos, também foram comprados. Isto é um bocado assustador porque, como nós bem sabemos, os americanos são extremamente influenciáveis; eles engolem tudo o que lhes dizem. E, ainda por cima, não batem bem da cabeça.
Mas o que acontece nos Estados Unidos é problema deles e eles que se amanhem. O problema é se isto se estende ao nosso país. Bem, se calhar já se estendeu de mansinho. Se calhar já temos uma ou outra revista de informática a dar sempre um "jeito" a favor de uma ou outra empresa do sector informático e um ou outro jornal a dar uma "ajuda" a uma ou outra pessoa, ou até a uma ou outra empresa. Mas, pelo que tenho visto, nada de muito grave. Mau, mesmo mau, é fazerem um circo de uma coisa que não tem nada por onde pegar e darem grande destaque a uma notícia sobre um menino que nunca viu o mar e queria conhecer o Mantorras.
Os meios de comunicação, tradicionais ou modernos, moldam a opinião das pessoas e a isenção está a começar a desaparecer. O jornalismo informativo está, aos poucos, a dar lugar ao jornalismo lucrativo e da peixeirada. Veja-se o circo que fizeram à volta do rapto da menina inglesa. Tenho muita pena da miúda e dos pais, mas não gostei do circo que os media montaram à volta deste caso. Chegaram ao ponto de entrar em directo para dizer que o casal tinha saído de casa para ir à missa. Que é que isso interessa? Mais um bocado e faziam directos de meia em meia hora para dizer quantas passos eles deram, o que almoçaram e jantaram e a que horas foram ao cagatório.
O meu conhecimento dos jornais não é o maior porque não os leio muito (embora tenha trabalhado num), mas dos canais televisivos é algum. Eu vejo bastante televisão e adoro os blocos informativos (quando informam, em vez de vender peixe) e tenho visto que os vários canais, principalmente a TVI, tentam não perder uma oportunidade para mostrar peixeirada. Morreu alguém que contribuiu muito para o país?! Dá-se dois minutos para a notícia e passa-se logo para o atrito entre o orelhas e o morto, porque isso é que vende. Se ninguém meter mão nisto, ainda vamos ficar americanos.
Eu confesso que gosto de algumas notícias mais para o peixeirada, tipo aquela da ambulância que foi socorrer uma pessoa e acabou multada. Tem piada porque mostra o ridículo que acontece no país e porque dá razão a muita coisa que digo. Mas, mais que isso, não.
Este post está aberto a uma discussão saudável. Com ele não pretendo ofender ou denegrir a imagem de uma pessoa ou entidade. Apenas estou a partilhar a minha visão.

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

posts recentes

arquivos

links