Terça-feira, 28.08.07

Bug na GPL3?

Li à pouco um artigo no Linux Devices sobre uma possível forma de contornar a clausula da licença GPL3 conhecida como "Tivoization", talvez a mais conhecida da licença.
De acordo com Bruno Zoppis , funcionário da TRANGO (empresa dedicada à criação de software de virtualização), é possível dar a volta à GPL3 através do uso de uma tecnologia de virtualização conhecida como "hypervisor". Graças a esta tecnologia, os fabricantes poderão respeitar a GPL3 sem permitir a instalação de versões modificadas do software usado.
Muito resumidamente, a tecnologia "hypervisor " permite correr vários sistemas operativos simultâneamente no mesmo computador, todos eles isolados uns dos outros.
Não sei se o uso desta tecnologia será uma forma de dar a volta à GPL3, mas a ser, é uma machadada nas pretensões da Free Software Foundation.

"Using a hypervisor to reconcile GPL and proprietary embedded code"

[Fonte: Linux Devices]
Segunda-feira, 06.08.07

Ghostscript muda para GPL2

O conhecido interpretador open-source de postscript lançou a nova versão sob uma nova licença, a GPL2. Com esta mudança de licença, o fork ESP Ghostscript foi descontinuado e está a ser fundido no código do Ghostscript.
Infelizmente a nova versão do Ghostscript ainda não chegou aos repositórios do Ubuntu, mas, ao que parece, já está disponível noutras distribuições. Vou esperar uma semana e se não for actualizado, lá vou eu ter que apanhar um bocado de seca a compilar o programa.

{Fonte: ArsTechnica}
publicado por brunomiguel às 23:54 | link do post | comentar

Mark Shuttleworth faz fortes críticas à Microsoft

Numa entrevista dada à Eweek, Mark Shuttleworth falou das alegadas infracções de patentes da Microsoft e fez fortes críticas à empresa, acusando-a de fazer extorsão.
Mark Shuttleworth acusa a Microsoft de tentar dividir a comunidade open-source, ao alegar infracção de 235 patentes, e de se aproveitar da fraqueza financeira de algumas distribuições para comprar acordos. O presidente da Canonical também aponta o dedo às distribuições que fizeram os acordos de protecção com a Microsoft, por se deixarem arrastar para uma teia de incertezas, medo e confusão (FUD).
To say, as Ballmer did, that there is undisclosed balance sheet liability, that's just extortion and we should refuse to get drawn into that game. On the other side, if Microsoft is concerned about its intellectual property, there is no one in the free software community that wants to violate anyone's IP. Disclose the patents and we'll fix the code. Alternatively, move on.
Durante a entrevista, Mark Shuttleworth é questionado sobre a GPL3. Ele afirma que a GPL3 é melhor que a sua antecessora e que o novo Ubuntu vai estar sob esta licença. Quanto às criticas de Linus Torvalds à nova GPL e à não passagem do kernel do Linux para esta licença, ele acredita que o ditador benevolente - Linus Torvalds - apenas quer o melhor para o kernel e que não há problema em haver ou não mudança de licença.
Quanto a possíveis acordos de interoperabilidade com a Microsoft, o homem forte da Canonical afirma que eles não estão postos de lado, mas que os acordos de protecção são uma carta fora do baralho.
Quinta-feira, 26.07.07

Intel aumenta o contributo para o "mundo livre"

A Intel parece estar empenhada em contribuir cada vez mais para o FOSS (Free and Open Source Software). Depois de criar uma iniciativa para promover a adopção de GNU/Linux nos dispositivos móveis, agora tornou open source a Thread Building Blocks 2.0 template library.
A Thread Building Blocks 2.0 é uma libraria cross-platform útil para sistemas multi-core, escrita em C++ e que usa tasks em vez de threads, permitindo a criação de software em menos tempo e evitando a programação de baixo nível nas várias plataformas.
Para já, a Thread Building Blocks 2.0 está licenciada sob a GPL2, mas a Intel está a ponderar a mudança para a GPL3.

{Fonte: ArsTechnica}
publicado por brunomiguel às 16:26 | link do post | comentar

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

posts recentes

arquivos

links