Domingo, 15.02.09

O meu pai entrou no universo do email

Hoje, algo estranho aconteceu: o meu pai pediu-me para lhe criar uma conta de email. Não é algo de que ele não tem grande necessidade, mas como ele me pediu lá lha criei.

Inicialmente, estava para lhe criar uma conta no Sapo Mail. Eu curto o serviço e não tenho nada a apontar-lhe, por isso foi a minha primeira escolha. Mas há um problema: só se podem usar passwords com 6 a 8 caracteres. Isto não seria nenhum inconveniente se o meu pai estivesse disposto a decorar uma nova pass. Não estava - e eu, confesso, também não estava com paciência para lhe arranjar uma pass nova complicada de adivinhar e fácil dele decorar.

Por causa disto, virei-me para o Gmail. Criei-lhe uma conta de email neste serviço, com um username enorme, e instalei-lhe o Thunderbird no computador (que corre Debian). Em minutos estava pronto a receber e enviar emails. Ficou todo contente, como é óbvio, e começou logo a perguntar como se enviavam mails. Expliquei-lhe, ele percebeu logo o conceito e eu ganhei uma benesse. ;)

Normalmente, teria criado no Sapo Mail. O serviço é muito fixe e recomendo-o a quem quer uma conta de email, mesmo que não seja a primeira ou a principal. Mas não poder usar mais que 8 caracteres é chato, principalmente para as pessoas que têm muito poucos conhecimentos da coisa e/ou não têm paciência para estar a decorar passwords novas (o que é bem capaz de acontecer um bom e generoso número de pessoas). Fica a sugestão para a equipa do Sapo Mail que, na minha opinião, tem feito um muito bom trabalho com o serviço: deixem usar mais de 8 caracteres nas passwords.

publicado por brunomiguel às 21:23 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Segunda-feira, 15.09.08

Motivação instantânea

spam gmail

Por vezes, quando estou mesmo triste, gosto de entrar na conta de email que tenho no Gmail e ver que tenho spam para me por um sorriso na cara. É melhor que ver o Preço Certo.

publicado por brunomiguel às 03:31 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Quarta-feira, 30.07.08

KMail finalmente funciona com Gmail por IMAP

Três vivas para a equipa do KDE. Finalmente o Kmail funciona em condições com o Gmail por Imap. Foram precisos uns meses, uns quantos debugs e talvez outros tantos bug reports, mas já está. E ficou a funcionar muito bem, diga-se de passagem: o download de todos os mails, à volta de 50 mil, foi rápido e a abertura deles é igualmente célere.

Eu gosto bastante do Balsa, um cliente de email do Gnome: o programa é leve, muito bom no acesso por POP, correcção ortográfica, suporte para PGP e S/MIME e tudo o que eu preciso num cliente de email. Mas estou tentado a mudar para o Kmail, porque o acesso por Imap ao Gmail com o Balsa ainda deixa um pouco a desejar.

publicado por brunomiguel às 23:06 | link do post | comentar | ver comentários (10)
Quinta-feira, 26.06.08

Nova versão do Kmail e os problemas persistem

Como tenho a segunda beta do KDE 4.1 instalada, resolvi voltar a experimentar o acesso por Imap ao Gmail através do Kmail. Isto deu-me problemas no passado, com o KDE 3.5.8 e 3.5.9, e fez com que eu optasse pelo Balsa.

Como este cliente de email do KDE já está na versão 1.9.52, pensei que o problema de acesso por Imap ao Gmail estivesse resolvido. E está, em parte. Só de vez em quando é que consegue aceder por Imap ao Gmail; e quando acede, consegue por mais de um milhar de emails como não lidos. Quando o encerro e volto a executar, volta a tentar descarregar os cabeçalhos de todos os emails. Se criar uma conta "disconnected Imap" para funcionar com o Gmail, nem consegue finalizar o acesso e fica parado nos 35%.

Não há paciência para este cliente de email. Apesar de ter muitas funcionalidades que me davam jeito e de fazer parte de uma beta do KDE, vou continuar com o Balsa. Este, ao menos, só se arma em parvo de vez em quando, quando me começa a pedir a password do email sem razão aparente.

publicado por brunomiguel às 23:44 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Domingo, 01.06.08

Mais uma razão porque gosto do software livre

Um dos motivos porque gosto do software livre é poder contactar com os colaboradores de determinado projecto para deixar a minha sugestão projecto ou relatar um problema, sem que haja uma agenda corporativa a dificultar as coisas ou uma alegada inviabilidade económica em corrigir determinado bug.
Por isso é que, à cerca de um mês, quando relatei um problema com o cliente de email Balsa e o acesso por IMAP ao Gmail aos colaboradores deste projecto, fui ouvido e o problema foi analisado. Ontem, foi lançada uma nova versão deste cliente de email e o problema estava parcialmente corrigido. Mas como houve algo que passou sem ser visto - aparentemente, o Gmail não segue o RFC3501 correctamente -, hoje recebi um patch para resolver o problema na totalidade.
Graças a uma coisa tão simples como relatar um problema com a aplicação, ele é corrigido e eu ainda tenho um papel parcialmente activo na sua resolução por ter relatado o erro e testado o patch.

Esta resolução teria chegado bem mais rápido se eu soubesse programar, porque o código do Balsa está à vista de todos e pode ser alterado.

É uma das características mais fortes do software livre: quem sabe, pode corrigir os problemas que encontram e partilhar os patches; os que não sabem, podem relatá-los, podem pedir a alguém para os corrigir ou podem pagar a alguém para os corrigir.

publicado por brunomiguel às 15:07 | link do post | comentar | ver comentários (2)

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

posts recentes

arquivos

links