Sexta-feira, 19.09.08

SGI reescreve a licença do GLX e DRI

Recebi à momentos um mail de uma das mailing lists da FSF a anunciar que a SGI reescreveu a licença que rege os componentes GLX e o DRI para a tornar compatível com a GNU General Public License. Foram nove meses, mais mês menos mês, de negociações, para finalmente eu estar a um piscar de olhos de poder voltar a usar o KDE 4.x.

The Free Software Foundation (FSF) Free Software Compliance Lab's Brett Smith explained, "We discovered that these licenses covered contributions that SGI had made to the X.Org Project and the Mesa 3D Graphics Library. These projects, including SGI's code, are an important and familiar part of modern GNU/Linux desktop systems. The FSF Compliance Lab then worked with SGI towards today's announcement."

[...]

Still, there are a few legal loose ends that need to be tied up before GNU/Linux distributions can utilize all the code base in freedom. Brett Smith explained, "There are a few other copyright holders that I'm working with to resolve their licensing issues and I'm confident that fully free distributions like gNewSense will soon be able to utilize all of this code." The FSF will be releasing further information early next week.

Agora, só falta que os detentores de outras partes do código façam o mesmo para eu poder voltar a usar o KDE 4.x. Eu curto o Fluxbox e até já o tenho personalizado ao meu gosto e hábitos, mas o KDE 4.x é mais agradável à vista e até já está personalizado e tudo.

Para mais informações sobre esta boa notícia, leiam o meu artigo no Programas Livres.

 

publicado por brunomiguel às 17:38 | link do post | comentar
Quarta-feira, 11.06.08

gNewTop/Fluxbox

gnewsense desktop fluxbox

gnewsense desktop fluxbox

Como sempre, cliquem nas imagens para as verem em tamanho real (1280x1024)

publicado por brunomiguel às 08:01 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Quarta-feira, 28.05.08

Como correr o gnome-settings-daemon fora do Gnome sem problemas

O gNewSense 2.0 e possivelmente o Ubuntu 8.04, já que o primeiro é baseado no segundo, tem um bug extremamente irritante: quando se tenta correr o gnome-settings-daemon num gestor de janelas como o E17, para dar às aplicações GTK o aspecto que elas têm no Gnome, este não se consegue ligar ao dbus, dá erro e é terminado.

Para tentar resolver isto, instalei umas quantas bibliotecas e aplicações relacionadas com o dbus. Não resolveu nada e continuei com as aplicações GTK parecidas com o Windows 95, enquanto usava o E17. Depois instalei o Fluxbox, porque pensei que seria stress do E17, mas deu o mesmo erro.

Como nada do que tinha tentado tinha resultado, resolvi jogar duro como o Chuck Norris e fiz uma pesquisa no Google (sou bué da mau, não sou). Deparei-me com várias possíveis soluções, algumas delas óbvias, como reiniciar o dbus, editar dois ficheiros e adicionar umas linhas de texto ou remover um ficheiro qualquer localizado em ~/.gnome2. Mas a única que resultou - só experimentei outra antes desta - foi correr o gnome-settings-daemon pelo dbus-launch: dbus-launch gnome-settings-daemon.

gnome gnome-settings-daemon e17 screenshot

Na mesma thread em que encontrei esta solução, um pouco mais à frente, é apresentada uma forma de corrigir o problema de vez, para que sempre que se entre num gestor de janelas e se queira correr o gnome-settings-daemon, não seja necessário executá-lo pelo dbus-launch. Mas não a experimentei, por isso não sei se funcionará.

Esta solução "miraculosa" foi encontrada numa lista do Freedesktop.org e data de Janeiro de 2006. Estranho como alguns problemas parecem intemporais, apesar da sua solução ser conhecida. Já parece aquele problema do sistema de ficheiros da OpenBSD, que só ao fim de 25 anos foi corrigido.

 

nota: clica na imagem para a veres em tamanho real

Sexta-feira, 13.07.07

AntiX Spartacus, o Mepis leve

A nova versão comunitária (e leve) do Mepis, o AntiX, já tem nova versão.
O AntiX Spartacus vem com a versão 2.6.15 do kernel de Linux, Fluxbox e IceWM para o ambiente gráfico, Abiword, Firefox 2.0, Gaim 1.5, Mplayer, Gimp 2.2.13, Gnumeric, Audacity, Graveman e mais uma molhada de software.
O AntiX é fruto do trabalho do membro da comunidade Mepis, anticapitalista, e está disponível para processadores de 32 e 64 bit. São só 410 megas, por isso não perdem nada em fazer o download. E se tiverem um Pentium II ou equivalente parado, melhor ainda, porque esta versão é mesmo direccionada para os computadores cota.

{Fonte: DesktopLinux}
publicado por brunomiguel às 01:18 | link do post | comentar

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

posts recentes

arquivos

links