Terça-feira, 02.09.08

Também escrevo sobre o browser do Google

Eu sei que já fiz uma menção ao Google Chrome no Programas Livres e no Webtuga, mas não resisto a fazê-la aqui também, numa versão curta (espero). O projecto parece ser demasiado interessante para deixar de o mencionar, e não é por ser do Google.

O Google Chrome é um browser livre (as in freedom) que o Google vai disponibilizar já hoje, dia 2 de Setembro de 2008. Este browser terá:

  • uma máquina virtual de Javascript, também ela livre, que teoricamente torna a interpretação do Javascript mais rápida;
  • o Webkit para fazer render às páginas web;
  • os separadores localizados em cima da barra de endereço, ao contrário do que acontece com a maioria dos browsers actuais;
  • uma página inicial semelhante ao Speed Dial do Opera (basicamente, atalhos para sites com pré-visualização em miniatura dos mesmos).
  • um modo de privacidade que não guardará quaisquer dados da navegação no disco (como o famoso pr0n mode prometido para o Internet Explorer 8).


Este projecto está a despertar-me bastante o interesse. Pela descrição, parece ser muito porreiro. Falta saber é se o Google vai entregar o que está a prometer ou se vai fazer como a Microsoft: promete uma coisa e entrega outra, como o suporte out of the box para os padrões web no Internet Explorer 8, que foi por água abaixo na segunda beta deste browser.

Para além de todas as funcionalidades acima mencionadas, estou a contar com uma forte integração dos serviços do Google no browser - e a desejar que isso não aconteça. Será de admirar se não o fizerem, já que são os mentores e criadores da aplicação.

Se quiserem saber mais sobre o Google Chrome, vejam esta banda desenhada criada por Scott McCloud para o Google.

Ok, isto acabou por não ser a versão curta da coisa. Mas o importante é que é interessante, e nesse caso o tamanho não conta. Melhor dizendo: o tamanho não conta, apenas o interesse - do texto, claro está.

publicado por brunomiguel às 00:01 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Domingo, 03.08.08

Sitemeter está a dar problemas com o Internet Explorer

Actualização: afinal é mesmo problema do Internet Explorer.

Aparentemente, os sites que usam o contador de visitas do Sitemeter não aparecem correctamente no Internet Explorer; aliás, não aparecem de todo nalgumas versões deste browser. Isto dever-se-á a um problema com o serviço e não com mais um stress deste browser.

Como eu uso este contador de visitas no blog, alguns dos meus visitantes podem ter "batido com a cara na porta" quanto o tentaram visitar. Por isso desactivei-o, para que os meus ilustres visitantes kamikaze possam ver o blog nesse frasco de nitroglicerina a que chamaram de Internet Explorer.

Já de agora, caros visitantes, se usam o Internet Explorer, aproveito para vos sugerir a utilização de um browser digno desse nome. Podem usar o Firefox, SeaMonkey, K-Meleon e até os proprietários Opera, Flock e Safari. Mesmo que escolham um browser que não consiga interpretar CSS, acreditem que estão melhor com ele do que com o Internet Explorer. Visitem o browsehappy.com para saberem porque devem parar já de usar o Internet Explorer.

via Miguel Guerreiro

Terça-feira, 01.07.08

Primeira beta do Icecat 3.0 e os problemas da instalação do Firefox e clones a partir da source

A primeira beta do IceCat 3.0, a versão GNU do Firefox, foi hoje disponibilizada. Assim que recebi a notificação da mailing list deste projecto, descarreguei o código-fonte e, antes de compilar e instalar o browser, removi a versão 2.0.0.13 deste browser - que tinha compilado e instalado há umas semanas.

Assim que o IceCat 3.0 acabou de instalar, executei-o; e qual não é o meu espanto quando vejo que ainda tinha a versão 2.0.0.13. Porque raio não foi ela removida? Eu corri o make uninstall, por isso devia ter sido removida. Mas não foi, porque a Mozilla não inclui essa opção no Makefile. Por isso, as únicas formas de remover o browser do sistema são: remoção dos ficheiros, um a um; ou criando um pacote, que seria instalado e depois removido, eliminando todos os traços do browser no sistema.

Também poderia alterar o Makefile, mas isso é muita areia para a minha camioneta.

Antes de saber como podia criar um pacote do browser, estive algumas horas a tentar perceber como poderia remover a aplicação e compilei o IceCat várias vezes. No meu computador, é mais de 15 minutos só para cada compilação.

Felizmente, após vários mails trocados na lista de bugs deste projecto, um dos membros, Sean Artman, explicou-me como podia criar um pacote do browser. Bastou uma pequena alteração ao Makefile da directoria browser/installer/, seguido de um ./configure, make e depois um checkinstall para criar o pacote deb.

Nesta minha aventura que durou boa parte da tarde e início da noite, fica a nota positiva para os membros do projecto IceCat, que me ajudaram e já estão a criar um patch para permitir o make uninstall no Firefox; e nota negativa para a Mozilla, por não permitir a remoção do browser com o make uninstall, algo normal em tantas aplicações.

Domingo, 22.06.08

Epiphany também suporta perfis de cor

Não é só o Firefox 3.0 a suportar perfis de cor ICC. Também o Epiphany, quando usa o Gecko como backend, suporta esta funcionalidade. Para isso basta, tal como no Firefox 3.0:

  • abrir um separador, inserir o endereço about:config e clicar no enter;
  • procurar a opção gfx.color_management.enabled e clicar duas vezes nela para alterar o seu valor para true;
  • reiniciar o browser;


Isto foi testado por mim no Epipanhy 2.22.2 com o Geck 1.9 como backend, no gNewSense 2.0. Nalgumas imagens, a diferença não é muita; noutras, consegue ser bastante grande.

publicado por brunomiguel às 16:42 | link do post | comentar
Quarta-feira, 01.08.07

Firefox 2.0.0.6, duas semanas depois da versão anterior

Duas semanas depois do lançamento da versão 2.0.0.5, a Mozilla lançou uma nova sub-sub versão do Firefox com três correcções. A primeira correcção é o bug do gestor de passwords esquecido na versão precedente. A segunda é uma falha moderada que permite a escalada de privilégios. A terceira é uma falha crítica que permite a execução de código malicioso.
Isto é sinal que a Mozilla corrige os erros do Firefox, mas lançamentos assim tão próximos são um bocado chatos. Valia mais eles corrigirem os bugs de uma assentada.

Download do Firefox
publicado por brunomiguel às 14:35 | link do post | comentar

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

posts recentes

arquivos

links