Sábado, 29.05.10

Bash-social-updater: um script para actualizar serviços de microblogging

bash-social-updater

Há uns dias, vi uma mensagem do Alexandre Oliva no Identi.ca com uma forma de actualizar este serviço de microblogging utilizando o wget (na realidade, foram duas mensagens, porque, tal como no Twitter, o Identi.ca limita os updates a 140 caracteres). Como o meu tempo livre é demais e eu tenho que me ocupar com alguma coisa para não enlouquecer, decidi colocar este método num script bash e também adicionar uma forma de enviar os updates para o Brainbird - que, tal como o serviço de microblogging que mencionei anteriormente, corre Statusnet.

Só agora é que estou a iniciar-me em bash scripting, por isso ainda demorei alguns minutos até ter a versão inicial pronta. Depois, comecei a pensar em possíveis novas funcionalidades e a transformá-las em código. O que começou como brincadeira, agora já cria shorturls com o tinyurl.com e começa a ter suporte básico - ainda que desactivo por omissão e num estado não muito usável - para Friendfeed.

Uma das coisas que queria fazer era enviar a link da aplicação para o serviço de microblogging em cada update, como fazem o Gwibber e Tweetdeck, por exemplo (no nome da aplicação usada, conter a link para a página dela). Perguntei ao responsável do Brainbird.net como era possível fazê-lo com a api, já que a documentação não foi grande ajuda, e ele disse-me que isso tem que ser adicionado por ele. Esta foi uma das funcionalidades que não pude implementar.

Já que a funcionalidade que mencionei anteriormente tem que ser adicionada por ele e eu precisava de uma página para o script, decidi colocá-lo no Google Code. Isto permitiu-me começar a usar o mercurial e a perceber melhor como funcionam os distributed revision control (controlo de versões distribuido, é talvez a melhor tradução que me ocorre).

Já que coloquei o script no Google Code, decidi que iria adicionar mais algumas funcionalidades. Uma delas é a utilização do ur1.ca para encurtar as links. Outra, é a utilização do ncurses para o interface do script, o que vai permitir maior modularidade na escolha dos serviços de microblogging que se pretendem actualizar. Também, quero adicionar suporte para o Friendfeed, leitura dos dados de login e link da api a partir de um ficheiro (que muito provavelmente se vai chamar .social-network-updater-rc) e separação do código por funções.

Este script, a que chamei bash-social-updater, é básico e não esperem grande coisa dele. Como já referi, só agora estou a dar os primeiros passos com bash scripting. Com o tempo, contudo, espero que ele se torne algo menos básico.

publicado por brunomiguel às 02:22 | link do post | comentar
Quarta-feira, 25.07.07

Guia de instalação do ArchLinux

O ArchLinux é uma distribuição modular, personalizável, leve e tem uma comunidade que tenta disponibilizar sempre as versões mais recentes do software, mas não parece ser muito fácil de instalar. Ao contrário do Mandriva, Ubuntu ou OpenSuse, parece não haver clicks para ninguém durante a instalação; é tudo à bruta, na bash.
O processo de instalação parece ser mais chato que difícil, mas pode tornar-se complicado se tiverem daqueles winmodems manhosos, em vez de um router.
Nunca experimentei esta distribuição, mas tenho lido comentários muito positivos sobre ela. Se vocês tiverem uma máquina parada ou "infectada" com Windows, não perdem nada em instalar o ArchLinux e sempre aprendem mais alguma coisa sobre o maravilhoso GNU/Linux. Se precisarem de um guia, podem ver este, que até tem screenshots e tudo.
publicado por brunomiguel às 17:09 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Quinta-feira, 12.07.07

Terminal para iniciados

hotwireUm dos problemas que os utilizadores dizem ser um entrave à adopção de GNU/Linux é o terminal. Uma janela preta ou um ecrã preto com texto parece assustar as pessoas. Mas à solução para isso.
O terminal é a melhor forma de interagirmos com o sistema operativo. Com ele podemos ler emails, falar em programas de chat, ver websites (ainda quem mostre apenas texto), alterar as definições do sistema e/ou programas, ver os processos que estão a correr, iniciar, terminar e reiniciar processos, etc... O terminal é a melhor coisa do GNU/Linux.
Eu ainda não estou muito à vontade com o terminal; sei fazer algumas coisas, como reparações básicas aos dispositivos de rede ou ao xorg.conf, mas ainda não sou nenhum bash freak. Mas esse tempo há-de vir!
Uma das soluções para os iniciados em GNU/Linux se começarem a ambientar ao terminal é o programa Hotwire. O Hotwire junta um interface gráfico ao terminal, para facilitar a aprendizagem. Com este programa podem usar algumas funcionalidades gráficas e comandos de terminal, simultaneamente.
O uso do terminal em GNU/Linux não é obrigatório; nalgumas distros quase ou nunca é preciso. Mas a consola tem aquela mística à volta dela, como o Benfica.

Download do Hotwire para Ubuntu 7.04
Hotwire 0.590 Source
publicado por brunomiguel às 00:42 | link do post | comentar

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

posts recentes

arquivos

links