Release Candidate do Ubuntu 10.04 não é bom prenúncio para a versão final da distribuição

stress
278/365 - Hey Guys Hey Guys Hey Guys, da autoria de helgasms!, sob a licença Creative Commons Attribution-No Derivative Works 2.0

Ainda me lembro como se tivesse sido ontem. Bem, na verdade foi apenas há dias: instalei a Release Candidate do Ubuntu 10.04 e as chatices não tardaram a aparecer.

Uma das primeiras foi o ícone das «Tecnologias Assistivas», que decidiu aparecer na área de notificação sem que eu tivesse sequer executado tal aplicação. Removê-lo, só mesmo depois de apagar a pasta .gconf da minha /home, porque nem a remoção do pacote associado à aplicação resolveu a questão.

Depois, foi a applet Relógio, que ora decide mostrar a temperatura e a previsão do estado do tempo, ora arma-se em parva e não mostra nada durante um dia ou dois.

Também, não tenho uma forma simples de alterar o tema do GDM. Não gosto muito do que vem por omissão no Ubuntu e quero trocar, mas para isso tenho que andar a editar um ficheiro qualquer que eu não sei muito bem qual é. Descobri-lo não custa, mas não tenho estado com paciência para isso.

Outros: o TAB não funciona no browser para alternar entre elementos, e as teclas de atalho para copiar e colar só funcionam quando querem e não quando eu preciso. Este último torna-se especialmente aborrecido porque é algo de que necessito bastante, já que actualizo as redes sociais através de uns bots XMPP e muitas vezes tenho que replicar os conteúdos.

Estes e mais uma série de outros pequenos bugs irritantes fazem-me perder a paciência com o Ubuntu. Se uma Release Candidate está assim, a versão final, à partida, não deverá ser muito melhor. É por isso que estou a equacionar instalar Debian Testing ou então a aguardar pelo lançamento do Fedora 13.

O Debian Testing é porreiro porque me permite ter um sistema estável e com versões relativamente recentes das aplicações - se excluírmos o KDESC, claro está. Já o Fedora 13 dá-me a oportunidade de ter um desktop KDESC bastante recente, tal como as aplicações do sistema, para além de também ser uma distribuição estável.

Entretanto, é provável que também pondere outras distribuições de GNU/Linux, como o Crunchbag e Mandriva. Mas, de momento, equaciono apenas Debian e Fedora, e já é o suficiente para não me conseguir decidir.

publicado por brunomiguel às 23:08 | link do post | comentar