Vizinhos barulhentos e queixa na PSP

Quando vim para Lisboa, tive o azar de arrendar um quarto num andar que tem como vizinhos de cima uns selvagens barulhentos que vieram do meio do mato para a cidade. Regra geral, a partir das 22 horas começam a fazer barulho - saltos, correrias, coisas a cair e móveis arrastados - que dura até perto da 1 hora. Depois, fica tudo mais ou menos sossegado e finalmente consigo adormecer.

Também costumo adormecer antes deles pararem com a barulheira, mas só se estiver muito cansado - o que apenas acontece depois de uns dias a adormecer tarde.

Não é só o barulho que me atrofia o sono, mas também os nervos com que fico por querer descansar e nem conseguir pensar por causa da barulheira que eles fazem diariamente. E ao fim-de-semana ainda sou obrigado a acordar por volta das 9 horas, altura em que decidem fazer sexo e dar isso a conhecer a toda a vizinhança.

Mas ontem à noite, a partir das 22 horas e até às 23 horas, eles fizeram muito mais barulho que o normal. Eu só ouvia berros, algo que é relativamente frequente mas não com aquela intensidade, mas desta vez também ouvi uma música mitrosa qualquer aos berros. Fui obrigado a falar com o senhorio e ele acabou por chamar a polícia.

Passados alguns minutos, os PSPs apareceram, falaram com o senhorio e depois falaram com os selvagens do andar de cima, que disseram que não fizeram barulho nenhum. Mas duvido que os polícias não tenham ouvido o barulho antes de lhes bater à porta.

Eu já pretendia arrendar outro quarto, mas agora ainda tenho mais vontade. Quanto mais depressa deixar de ouvir aqueles selvagens, melhor. Não há paciência!

publicado por brunomiguel às 12:47 | link do post | comentar