NASA e SGI criam o super-computador mais potente do mundo a correr um único kernel do Linux

A NASA adquiriu um SGI Altix 4700 - um super-computador com 1024 processadores Dual-Core Intel Itanium 2 e 4TB de memória - e meteu-lhe apenas um kernel do Linux: a versão 2.6.22.1. Esta máquina consegue debitar uns potentes 13.1 teraflops por segundo, entrando automaticamente para o sexagésimo quarto lugar do top500 dos super-computadores. Para guardar os dados processados pelo Altix 4700 (que eu adoraria ter em casa para jogar, ver filmes, ouvir música e escrever para o meu blog), a NASA adquiriu também um SGI InfiniteStorage 10000 com 240TB de capacidade de armazenamento.
Para poder usar um único kernel neste super-computador, a SGI teve que fazer algumas alterações ao kernel do Linux, que depois enviou à comunidade para futura inclusão nas novas versões.
É nestas alturas que vemos o poder do "mundo livre"; suportar 1024 Dual-Core e 4 terabytes de memória não é para qualquer um. Se a NASA - uma agência que não se pode dar ao luxo de ter uma máquina a funcionar abaixo de óptimo - confia em GNU/Linux, porque é que vocês não confiam nele para o(s) vosso(s) desktop(s) e/ou servidor(es)?

{Fonte: LinuxWatch}