Crime de ódio contra homossexual em Porto Rico

George Steven Lopez Mercado, um jovem porto-riquenho de 19 anos de idade, foi decapitado, desmembrado e parcialmente queimado por ser homossexual. Com um crime brutal como este, seria de esperar que a polícia fizesse tudo ao seu alcance para capturar os responsáveis. E realmente as forças de segurança fizeram isso, mas não sem antes o investigador responsável pelo caso ter dito num canal televisivo público que "as pessoas que adoptam este estilo de vida devem ter consciência de que isto pode acontecer".

A comunidade gay porto-riquenha condenou imediatamente as palavras do investigador, dizendo que ele tinha sugerido que o jovem mereceu o destino que teve. Isto é discutível, porque as declarações do polícia também podem ser vistas como uma mensagem de cautela (sem ser uma ameaça). Mas, depois do que aconteceu a este jovem, ninguém pode censurar que se tenha tido a interpretação negativa.

Este crime é chocante, assim como a situação, mas de repente torna-se surreal. Depois de apanhado pelas autoridades, o suspeito afirmou em sua defesa que não sabia que George era um homem e que, por isso, foi com ele para o seu apartamento, onde o jovem o convidou a ter sexo anal, despoletando um ataque de raiva no alegado homicida que acabou no que já sabemos.

Este ódio vem, aparentemente, da juventude do alegado criminoso, altura em que terá sido molestado. Essa é a suposta razão para todo este ódio contra os homossexuais.

Talvez esta raiva fosse melhor direccionado contra os pedófilos, digo eu... Mas não para os desmembrar; não há necessidade de voodoo humano. Criar associações de apoio a vítimas de pedofilia e entrar na polícia e investigar este tipo de casos seriam melhores abordagens.

Provavelmente é mais fácil matar os paneleiros que ajudar quem passou pela mesma situação.

via link, link

publicado por brunomiguel às 02:54 | link do post | comentar