Sem título e menos sentido ainda

Está de volta, a vida de sempre. E a junção dos pedaços do sonho estilhaçado não vai acontecer. Porque fui culpado de algo que não fiz; culpado por querer saber; culpado por acreditar; culpado por querer.

A rotina não é má, mas por momentos pensei que tudo ia melhorar um pouco. Engano meu. Acreditei quando não o devia ter feito; sentenciado por isso, sem direito a defesa.

Roda, mundo, roda. Na imensidão do cosmos, a vida continua neste pequeno ponto azul banhado por radiação solar; insignificante como todos os outros do universo.

publicado por brunomiguel às 23:47 | link do post | comentar