Uma surpresa antes de ir para o trabalho

Hoje, quando estava a sair para o trabalho, fui surpreendido por algo que não esperava, confesso. Abro a porta de casa, dirijo-me para o carro e vejo passar dois putos daqui com os telemóveis, quais azeiteiros, a tocar Skazi em alto e bom som (bem, o possível para um telemóvel).

O que me espantou não foi o facto deles fazerem questão de partilhar o que estavam a ouvir com toda a gente, mas sim o que estavam a ouvir. Pensava que a cena psy daqui, uma normal aldeia do centro do país, tinha nascido e iria morrer comigo; mas não, ela vive. Ok, os miúdos são meio desmiolados, mas antes isso que nada. Acho eu...

Antes de entrar para o carro, estive uns minutos à conversa com eles, a trocar impressões sobre alguns nomes e vertentes musicais da cena, e reparei que eles também gostam de coisas mais dark. Foi interessante, por acaso, tendo em conta que eu esperava que eles ouvissem Trance Carros de Choque ou outra porcaria desse género. Até uma Madonna ou um remix do Bacalhau Quer Alho, do Saúl.

Isto é um ghetto refundido, mas a cena psy vive. Com pena minha, acho que são capazes de recorrer a "atalhos" (drogas) para chegar lá. Ou se calhar sou eu que cada vez menos tenho fé na humanidade.

Para terminar o post, deixo uma link para um pequeno vídeo de Skazi no Brasil.

publicado por brunomiguel às 00:51 | link do post | comentar