Criança com paralisia cerebral pode ficar sem pónei devido a uma paragem cerebral dos conterrâneos

Quando não há bom-senso, merda como a que está a passar em Caledon acontece.

A família de uma criança de três anos com paralisia cerebral, residente na vila canadiana de Caledon, tem um pony em casa. Este anima é usado como parte da terapia do miúdo, que não consegue andar, nem sequer gatinhar.

A zona é rural. Há várias quintas e o que não falta lá são animais, alguns mesmo de duas patas e com carro. Uma destas bestas, um vizinho do casal (já parece os meus vizinhos do lado), têm apresentado queixa da família do miúdo, alegando que o mau cheiro o incomoda. Estamos a falar de alguém que vive lado a lado com um curral de vacas. Se calhar a família não tem um pony mas uma máquina viva de fazer merda, ou então as vacas não tem intestinos.

Por causa das queixas, a polícia ameaça retirar o pónei à família, alegando que a propriedade tem falta de espaço para ter o animal. A mãe e os avós da criança mostraram-se bastante descontentes e afirmaram que vão percorrer todas as vias possíveis para que possam continuar com o pónei.

Como é óbvio, a família tem que ter condições para albergar o pónei. Mas o miúdo não deve ser privado da terapia. Em vez das autoridades locais estarem armadas aos cucos, deviam era ajudar a família a criar as condições necessárias para ter o animal, caso fosse necessário.

via Posted Toronto

publicado por brunomiguel às 14:13 | link do post | comentar