A imaginação também é uma puta de uma maldição

Razão tinha John Webster quando escreveu, na peça The White Devil, que «não há nada mais torturante para o homem do que os seus próprios pensamentos». Eu que o diga: durante esta semana que passou, fui atormentado pela minha fértil - e, desta vez, negativa - imaginação. Filmes, filmes e, fodasse, mais filmes; a minha imaginação dava um filme.

Cícero dizia que «o pensamento é livre». Às vezes, era bom que não fosse assim tão livre - liberdade total nunca foi uma coisa boa (com liberdade total, não há regras, e sem regras, há merda).

publicado por brunomiguel às 02:36 | link do post | comentar