Investigadores encontram forma de eliminar dióxido de carbono e produzir mármore ao mesmo tempo

O Instituto da Terra da Universidade de Columbia conduziu um estudo que mostrou que a peridotita consegue, naturalmente, absorver grandes quantidades de dióxido de carbono. Infelizmente, isso não é suficiente para ajudar a absorver as 30 milhões de toneladas de dióxido de carbono lançadas anualmente para a atmosfera, por isso os investigadores tentaram, tentaram, tentaram, e lá encontraram uma forma de acelerar o processo.

Várias jazidas deste mineral estão espalhadas pelo planeta. Uma delas está em Omã e os investigadores acreditam que poderá absorver entre 10 a 100 mil toneladas de dióxido de carbono. Acelerando o processo, pensa-se que poderá chegar às 4 milhões de toneladas. Isto é 13,3% do total deste gás lançado todos os anos para a atmosfera. Se se estender o processo a outras jazidas, como as da Papua-Nova Guiné e Nova Caledónia, esta percentagem, upa, upa, cresce.

Pode-se dizer que este processo é um pouco como varrer o lixo para baixo do tapete, com a diferença de que este tapete consegue reciclar o lixo. Quando entra em contacto com dióxido de carbono, a peridotita forma minerais como o calcário e o mármore. Vamos estar a livrar-nos de parte do gás que está a ajudar a aumentar o efeito de estufa e, em simultâneo, a dar um empurrão às indústria do mármore e, consequentemente, à funerária (campa que é campa é feita de mármore).

via O Público

publicado por brunomiguel às 18:32 | link do post | comentar