Os abusos na ajuda da comunidade

Uma das coisas que mais gosto na comunidade do software livre é a partilha de conhecimento e ajuda entre os membros. Sempre que se tem uma dúvida, há alguém num fórum, canal IRC ou mailing list pronto a ajudar. Isto é muito porreiro. O problema surge quando os abusadores aparecem - e a mailing list portuguesa do Ubuntu tem vários. Eles são pessoas que, até para saberem que menus uma aplicação tem, pedem ajuda; não se dão sequer ao trabalho de olhar para o programa, fazer uma pesquisa online ou ler a ajuda antes de colocarem as questões.

Eu participo em algumas listas e, por vezes, irrito-me com alguns membros que não se dão ao trabalho de tentar perceber as coisas primeiro. À primeira dúvida, mesmo que seja por não saber em que menu está um programa, colocam logo a questão e ficam a aguardar resposta. Parecem que não querem usar o cérebro ou o raio. Irra!

Quando tenho dúvidas, faço primeiro uma pesquisa online; é um hábito que ganhei desde muito cedo. Se não encontrar resposta, coloco a questão num fórum, mailing list ou canal de irc. Ainda há uns tempos atrás, quando estava a tentar perceber a dinâmica do GPG, li vários artigos e tutoriais sobre o assunto. Acabou por não me valer muito, por isso coloquei a questão e obtive uma resposta que retirou a maior parte das dúvidas (obrigado ao Marcos Marado por me ter explicado o conceito).

Por vezes, temos momentos de perguicite. Concedo isso, mas fazer isso várias vezes seguidas é abuso. Devem pensar que as pessoas não têm mais nada que fazer que não seja estar a responder a perguntas muito básicas que não existiriam se se dessem ao trabalho de ler a ajuda da aplicação ou fazer uma simples pesquisa no seu motor de busca preferido.

Eu sou a favor deste tipo de meios para providenciar ajuda. Curto participar em mailing lists e, dentro do que me é possível, ajudar outros membros. Não curto é este tipo de abusos e a insistência neles. Por vezes, apetecia-me mandá-los a uma mão cheia de sítios, em vez de dizer para lerem a ajuda do programa.

Eu sei que uma pessoa, quando começa a usar determinado programa ou sistema operativo, tem sempre muitas dúvidas. Eu também as tive quando comecei a usar o GNU/Linux. Mas li e pesquisei, não fiquei à espera que fizessem as coisas por mim. E isso é o problema de muita gente: ficam à espera dos outros.

publicado por brunomiguel às 21:11 | link do post | comentar