Tsunami de feeds

O criador do Instapaper, Marcos Arment, publicou no seu blog pessoal um post sobre a «atenção parcial contínua» (tradução literal de continuous partial attention): aquilo a que estamos sujeitos todos os dias por querermos estar sempre informados das últimas da blogosfera e nos faz subscrever mais de 100 feeds. Sabem, leituras verticais rápidas feitas aos artigos e que nos fazem perder, por vezes, alguma informação bastante interessante e que também nos aumenta os níveis de stress.

No seu post, Marcos Arment partilha algumas dicas que o ajudaram a diminuir a enorme quantidade de informação a que se sujeitava todos os dias. Ele removeu as feeds com um volume diário de actualização muito grande, os blogs sobre blogging, os sites que costumam publicar listas de 10 razões para isto e top10 daquilo, os sites com conteúdos que raramente lhe interessavam e alguns agregadores. Ele também sugere a impressão de artigos longos para facilitar a sua leitura, já que considera que a leitura de artigos extensos num computador não é o ideal.

Ele também aproveita para publicar o Instapaper, com a sugestão de utilização deste serviço para guardar as links que em determinado momento, devido a falta de tempo ou outro motivo, não é possível ler. Eu uso o serviço e tenho que admitir que é bastante útil.

Não sou nenhum ultra feed addict como o Cenourinha, mas também tenho o mau hábito que eles (os feed addicts) têm de fazer leituras verticais rápidas às minhas subscrições, que actualmente rondam as 150. Já tive quase 200, mas entretanto reduzi a lista e que continuar a reduzi-la até pelo menos às 100, seguindo algumas das sugestões do Marcos Arment.

Parte das feeds que conto "mandar à fava" são as dos agregadores que me bombardeiam com entradas novas todos os dias, boa parte delas de sites que tenho subscritos ou sem qualquer interesse para mim. Outras que vão ter com o criador são as que costumam ter tops de qualquer coisa para o Ubuntu, as que só agregam posts com «Ubuntu Linux» no título (estes irritam-me bastante, porque normalmente só têm conteúdo sem qualquer interesse ou ponta por onde se pegue) e as que têm uma frequência de actualização superior a 15 posts diários.

O problema desta limpeza às feeds vai ser a selecção das candidatas a remoção. Algumas são óbvias, como deu para perceber pelo parágrafo anterior, mas a maioria não é. Ainda não sei bem que critérios aplicar para conseguir determinar quais as feeds que farão companhia às óbvias na vala comum das subscrições. Uma coisa é certa: vou tentar ao máximo não remover nenhuma subscrição em português.

As dicas apresentadas por Marcos Arment para diminuir o continuous partial attention serão parte da minha solução para trazer alguma sanidade às minhas subscrições. E vocês, caros leitores e leitoras, que soluções aplicaram ou pensam aplicar para o vosso excesso de informação no vosso leitor de feeds?

publicado por brunomiguel às 14:01 | link do post | comentar