RFID: o fim da propriedade privada defendido pelo comunismo aplicado à vida privada

A obrigatoriedade de inserir um chip num automóvel, na forma em que está pensado, já é só, por si só, um atentado ao direito à privacidade. Mas o facto de usar RFID é o descalabro do projecto de lei, porque isso parece ser o mesmo que tornar a nossa vida privada em vida pública e aberta a quem a quiser ver.

Eu já tenho lido vários relatos acerca da enorme falta de segurança dos chips RFID. Apesar disso, cada vez mais são utilizados e estão a tornar-nos potenciais alvos de roubo de informação e devassa da vida privada por qualquer pessoa que saiba como ler estes chips. Basta estarem num café com um chip destes para que a pessoa da mesa do lado consiga aceder à informação contida nele. Essa pessoa pode até estar na rua para conseguir aceder à informação. Isto é assustador! Parece que estão a aplicar o fim da propriedade privada que o comunismo defendia à vida privada.

À pouco tempo, os Mythbusters quiseram por à prova os relatos de insegurança dos chips RFID e gravaram um episódio sobre isso. Mas o Discovery Channel terá, alegadamente, sido pressionado por algumas empresas de cartões de créditos para não o emitir, o que acabou por acontecer. Mesmo assim, um dos Mythbusters confirmou numa convenção essa situação. O blog Digital Citizen tem o vídeo desse relato disponível no formato Ogg Theora. Podem descarregá-lo aqui.

publicado por brunomiguel às 03:34 | link do post | comentar