Bater no cego, parte II

Voltando às festas populares - desta vez, espero, sem nenhuma pérola para caçar: já repararam que a playlist destas festas, pelo menos nas aldeias e vilas menos povoadas, se mantém quase inalterada durante anos? Porque será que isto acontece? O que não falta é música pimba nova todos os Verões, para mal dos meus pecados.

publicado por brunomiguel às 21:40 | link do post | comentar