TVI continua a liderar na poluição televisiva

De acordo com uma notícia publicada no Jornal de Notícias, a TVI liderou as audiências durante o mês anterior, com 31.1% de share. A SIC continuou em segundo lugar com 26.7%, seguida da RTP1 com 21.7% e da RTP2 com 6.7%.

É verdade, continua a dar-se primazia à falta de qualidade dos programas televisivos, tal como acontece em tantas outras áreas - com na música, por exemplo. A TVI até dá exemplos disso em comunicado oficial à liderança do canal no último semestre: "Casos da vida", "Morangos com açúcar", "Feitiço de Amor", "Fascínios" e "A outra". De acordo com o canal, o seu sucesso deve-se em boa parte a... isto; à  putrefacção televisiva, desprovida de substância, que eles fazem questão de mostrar na caixa que revolucionou o século XX.

Como se não bastasse emitir conteúdos que se assemelham ao arrancar das unhas dos pés com um alicate e posterior regar dos dedos com ácido sulfúrico, este canal tem uma legião de seguidores e seguidoras que quase parece um culto. Eu pude testemunhar isso na primeira pessoa quando, à dois anos atrás, na passagem de ano, critiquei a TVI em frente a uma fã do canal e por pouco não fui agredido fisicamente. A minha crítica não foi nada de extraordinário; apenas disse que a programação do canal é muito má e fundamentei a minha opinião. Isso foi suficiente para ser agredido com o olhar e ter ficado no limiar da agressão física e verbal.

Eu não percebo porque raio as pessoas continuam a ver a TVI. O canal não tem ponta por onde se pegue. Até eu, quando ainda estudava e chegava a casa todo "alterado" do cérebro no final das noites de sexta e sábado e me sentava a ver televisão, não ficava a ver a TVI, por muito "alterado" que estivesse o meu cérebro.

publicado por brunomiguel às 10:36 | link do post | comentar