Assalto no Serviço Nacional de Saúde

Li à momentos, no site da RTP, uma notícia que dá conta de remunerações indevidas e auto-promoções nas direcções dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde. O montante em causa refere-se aos anos de 2003 e 2004 e ascende a quase 1 milhão e 200 mil euros.

Esta situação foi conhecida após a publicação de dois relatórios da Inspecção Geral de Saúde. O Ministério da Saúde já se pronunciou e garantiu que, agora, a situação é «muito diferente». E ainda bem, porque era uma machadada na obsessão pelo combate ao défice se isto continuasse na mesma.

O Ministério da Saúde garantiu também que grande parte do valor recebido indevidamente, cerca de 90% do total, já foi devolvido e que alguns processos disciplinares já foram instaurados e que outros estão em fase de conclusão. Só parece não ter dito se os responsáveis vão responder na justiça ou se devolvem o dinheiro e está tudo esquecido, como se costuma fazer com as crianças quando roubam algo.

Para além das situações acima mencionadas, existem outras situações, como aquisição de viaturas num valor total superior ao permitido, aluguer não autorizado de viaturas para uso pessoal e facturas de comunicações móveis com um valor superior ao legalmente permitido.

Esta situação traz-me à memória uma música de Dealema chamada, se não me engano, Assalto e que começa assim: «Mãos ao alto, esta merda é um assalto.»