Os perigos de falar sem conhecimento do tema

Ontem, não tive oportunidade de ver todo o debate da SIC sobre «os perigos da internet»; vi apenas os minutos finais e sem grande atenção, porque estava a fazer qualquer cena que merecia mais atenção da minha parte. Por isso, hoje decidi descarregar o vídeo, para poder ver o tal debate que tem suscitado muitas críticas online - sim, descarregar, porque a SIC fez a má escolha de disponibilizar os vídeos em flash, uma tecnologia fechada, insegura e cuja implementação livre ainda está uns passos atrás no suporte; por isso tenho que o descarregar, caso contrário não o consigo ver.

Foram 130 e tais megas para quase 34 minutos de debate pobre e cheio de tantas idiotices, que quase parecia uma corrida de disparates. Porque é que, em vez de terem aquele painel de comentadores, não convidaram alguém que estivesse dentro da temática debatida? Isso tinha evitado muita palermice dita, como afirmar que os terroristas usam os blogs para comunicar entre si ou que o que não é uma vénia escrita a nós deve ser censurado - como parece pensar o sr Miguel Sousa Tavares. Quando não se sabe, inventa-se - e normalmente, por arrasto, sai merda, como se viu ao longo do debate.

Bem, safou-se um dos comentadores, que, apesar de não ter sido muito interventivo, tentou manter algum realismo num debate fantasioso, em que sou, como blogger, rotulado de terrorista - vou mudar o meu nome para Al-Bin-Muhammad-Bruno e vou chamar a este blog «Conversas de um bombista».

 

Deixo também uma nota negativa à SIC, por várias razões, sendo a principal a introdução do programa, que passo a transcrever:

«Aqui e agora, vamos perceber que a internet é um maravilhoso mundo novo; mas também uma inesgotável fonte de perigos, de fraudes, de seduções que terminam em tragédia, de pedófilos à espreita, de fotos e vídeos íntimos que de repente estão à vista de todos. É um mundo novo que traz grandes interrogações legais, sociológicas, psicológicas, ou seja, um bom tema para os nossos comentadores das quintas-feitas [...]»

 

Vou ali para um canto do meu quarto mergulhar numa profunda solidão, enquanto vendo umas escravas sexuais, violo crianças e fabrico mais umas bombas. Isto é multitasking ao mais alto nível!

publicado por brunomiguel às 11:18 | link do post