Em 2010, ou queres.... ou queres

Na semana passada, a Microsoft anunciou que iria estender o período de suporte do Windows XP até 30 de Junho de 2010 ou até um ano após o lançamento da próxima versão do Windows, mas apenas para a Home Edition. Anteontem, o ainda presidente da Microsoft, Bill Gates, disse que o Windows 7 chegará já no próximo ano.
Isto, como é óbvio, não é à toa.

Sigam o meu raciocínio.

Primeiro, a Microsoft está a tentar ganhar mais dinheiro coma venda de licenças do Windows XP para os cada vez mais populares computadores económicos. Isso é mais que óbvio e não há mal nenhum com isso - a não ser que o software seja de qualidade duvidosa.
Segundo, Bill Gates tentou enviar uma mensagem positiva aos accionistas da Microsoft. Saber que o Windows 7 poderá chegar mais cedo é sempre algo bom de se ouvir quando se têm acções da empresa.

Mas há mais!

A escolha apenas da Home Edition do XP para os computadores económicos não foi feita por acaso. As empresas que utilizam o Windows XP, que não são nada poucas, têm a versão Pro e não a Home, que é mais popular junto do utilizador comum. A preferência das empresas pela versão Pro é óbvia.
Também não feito por acaso foram as declarações de Bill Gates. Vejam: ao dizer que o Windows 7 chegará no próximo ano, está a dizer às empresas que, quer queiram quer não, vão ter que actualizar a versão do Windows que utilizam. O tempo que lhes resta serve para se prepararem para o upgrade, porque isso ainda é um processo moroso, com testes, adaptações de aplicações, formação, etc.
Mas não é só o dar tempo, é também dizer a quem está reticente em relação ao Windows Vista que vai poder actualizar para o Windows 7. A Microsoft está também a dar alguma aparente tranquilidade e escolha às empresas.

A sua capacidade de desenvolvimento de software pode ser questionável, mas temos que admitir que, quando o assunto são práticas questionáveis e negócios, a Microsoft sabe o que faz.
tags:
publicado por brunomiguel às 18:45 | link do post | comentar