Open source à conquista do mundo

A Gartner admitiu [pdf] aquilo que muitas pessoas já sabiam à algum tempo: o software aberto vai conquistar o mundo.
Por volta de 2012, diz a Gartner, mais de 90 por cento das empresas utilizarão software aberto no seu negócio, seja directamente ou embebida.
No entanto, o mesmo cenário não é pintado para os sistemas operativos livres. De acordo com esta consultora, o custo de manutenção, formação, etc, do GNU/Linux não apresentam grandes benefícios e por isso a maioria das soluções empresariais vão permanecer proprietárias.
Linux is well-established for certain classes of projects, but its major benefit — low cost — is declining in the face of increasing total cost of ownership (TCO) issues as Linux is applied against more-demanding enterprise projects.

Mais: a Gartner acredita que as "incompatibilidades" vão continuar a assombrar os sistemas livres.
Moreover, version control and incompatibilities will continue to plague open-source OSs and associated middleware.

Em relação ao total cost of ownership (TOC) não apresentar grandes benefícios, tenho a dizer que existem mais de 700 empresas brasileiras que não concordam, de todo, com essa afirmação.
Nas compatibilidades, acredito que isso não será assim, partindo do princípio que essas incompatibilidades dizem respeito a hardware. As empresas parecem estar a tomar cada vez mais consciência de que o suporte para sistemas livres é o caminho a tomar. E, até 2012, muitas empresas que ainda não tem drivers para sistemas livre deverão disponibilizar as especificações do seu hardware.
O mesmo se aplica às soluções proprietárias que assentam em sistemas livres. Até 2012, acredito que mais empresas oferecerão, em simultâneo, uma versão aberta e uma proprietária do seu software e que algumas irão mesmo apostar exclusivamente na abertura do software.

Os sinais destas tendências já são visíveis: basta ler notícias de tecnologia para se tomar consciência de que o software aberto está a crescer e que muitas empresas o estão a abraçar, não só como ferramenta de trabalho, mas como forma de desenvolvimento. Claro que, em 2012, ainda existirão muitas soluções proprietárias assentes ou não em sistemas livres, mas o software aberto estará em grande destaque e será a forma de desenvolvimento preterida de um número cada vez maior de empresas.

Bem, mas isto são apenas previsões. De hoje para amanhã, tudo isto pode mudar e o cenário ser outro. Vamos ter que esperar quatro anos para saber se o software livre sempre vai dominar o mundo ou não.

via zdnet.co.uk
publicado por brunomiguel às 05:17 | link do post | comentar