Um olhar aos classificados acumulados ao longo dos tempos

O agfrg olhou para a sua estante e viu uns números da PC Guia. Teve um clique e decidiu vasculhar o seu quarto à procura de revistas antigas. Depois, decidiu escrever sobre essa épica aventura e sobre os resultados da expedição aos locais mais sombrios do seu quarto; e ainda teve a infeliz ideia de sugerir que eu fizesse o mesmo (procurar revistas e jornais perdidos em minha casa).

Ideia infeliz, de facto, porque a única coisa do género que tenho perdida no meu quarto são os classificados do Diário de Coimbra e um ou outro do Diário As Beiras, por causa das ofertas de emprego.
Nestes classificados, alguns com mais de um ano, não se encontram artigos com todos os passos para instalar o Windows. Mas podem ler-se outras coisas igualmente interessantes, como "500 - 4.000 EUROS / MÊS. Actividade urgente! Distribuidor independente [...]" ou "P/F-Time MULTINAC. pessoas dinâmicas. 750-3000€/mês [...]".
A ciência também está presente nos classificados, pela mão do "Grande Cientista Espiritualista, Curandeiro, descendente de uma poderosa e antiga família de curandeiros - Mestre Mutar".
Continuando no campo científico, agora com baterias apontadas para o reino animal, estão a "Cabrita Safada!! Pª te enlouquecer de prazer, c/ minete, 69, vibro. Boca veludo garganta profunda. S/ Pressa [...]" e a "Gata Selvagem Taís, 20A. c/ muita sede de sexo! Completíssima! [...]".
Como podem ver, os anúncios dos classificados não são tão interessantes como um artigo sobre informática. Ainda assim, têm algum interesse e vários leitores fieis, principalmente nas pessoas mais sensíveis à conservação da vida animal.

Revistas sobre informática já não tenho. Cheguei a comprar alguns números quando ainda estudava; mas parei rápido, porque os artigos não me despertavam grande interesse e porque me pareciam ter (os artigos), muitas vezes, igual quantidade de informação e publicidade.
Mas cheguei a comprar muitos números da QUO e Super Interessante. Eu curtia milhões estas revistas e adorava a forma como abordavam a ciência, sem a fazer parecer muito complicada. E os textos tinham sempre qualquer coisa que me prendia e despertava interesse.
publicado por brunomiguel às 15:18 | link do post