O Reality Distortion Field dos media

Hoje, li no i-gov.org que os «ciberpiratas são ameaça a pacemakers». Diz a notícia, cuja origem remete a um estudo publicado pela Universidade de Washington, que estes aparelhos, num futuro próximo, serão programáveis à distância e estarão sujeitos a potenciais ataques.

Contudo, um estudo da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, indica que estes aparelhos equipados com tecnologias sem fios são vulneráveis à pirataria informática, tendo consequências potencialmente fatais. Os investigadores demonstraram que os piratas informáticos podem, com a tecnologia sem fios, reprogramar à distância os implantes ou obter informações médicas confidenciais sobre os portadores, sem o conhecimento do doente.


Curiosamente, o estudo diz que isso poderá acontecer apenas se os pacemakers não forem criados com a segurança em mente, e aponta mesmo algumas soluções para este potenciais problemas.

We hope our research is a wake-up call for the industry [...] Our goal is to make sure those devices are secure, private, safe and effective.


Esta paixão por chavões fáceis faz os media ligados à tecnologia distorcer um pouco as coisas e assustar as pessoas, quando não há razões para isso - nem para distorcer a notícia. Eles deviam saber mais e fazer melhor, caramba. Já não bastava alguns serem autênticas secções de marketing de algumas empresas...
tags:
publicado por brunomiguel às 14:22 | link do post