Culpa às cegas

Os portugueses têm uma facilidade em atribuir culpas a alguém sem saberem nada ou quase nada sobre determinada situação, que me deixa impressionado. É uma coisa que parece que nasce com algumas pessoas, tal é a prontidão em apontar o dedo sem conhecer os factos das situações.

Ainda ontem alguém viu uma notícia sobre um homem que caiu de uma maca num hospital e começou logo a dizer que a culpa era do Ministro da Saúde, do Governo, dos médicos e sei lá mais de quem.
Na altura, perguntei à pessoa porque é que ela estava a culpar o Ministro, se ela sabia quais as causas da queda e se sabia se estaria ou não alguém perto do homem para o ajudar. Por causa disto, fui flamado.
Hoje, ouço no telejornal da SIC generalista - apresentado pela jeitosa da Clara de Sousa - que o homem estaria alegadamente bastante agitado e que teria caido por causa disso. E que, na altura, o(a) enfermeiro(a), médico(a) ou auxiliar - não sei bem - que lá estava tinha ido falar com a família. Há coisas que são do camandro.

Se inserirmos esta facilidade em atribuir culpas num contexto sócio-histórico, de certeza que encontramos razões mais que suficientes para este hábito. Mas já passaram tantos anos; já tiveram tempo de perder este hábito. Bem digo eu que os portugueses fogem da mudança como dos cobradores de dívidas.
publicado por brunomiguel às 20:40 | link do post | comentar