Os horrores do zapping

rato
Há momentos na vida de uma pessoa que em que o zapping é a pior coisa que se pode fazer. Já aconteceu a todos, com certeza, estar no sossego da sua casa, começar a percorrer os canais televisivos e apanhar coisas terríveis como a "Floribella" ou "As Tardes da Júlia". Estes infortúnios podem fazer-nos ter pesadelos durante dias - daqueles com homens que falam com deus ou daqueles com árvores falantes e fadas mágicas. Até me arrepio só de pensar nisso...
Isto parece mau e realmente é, mas, por mais incrível que pareça, há coisas piores. Estava a fazer zapping durante esta noite, quando me cruzei com um programa (ou seria documentário?) que estava a mostar ratazanas; ratazanas enormes, que mais pareciam coelhos ou mesmo hipopótamos.
Se há bicho que me mete confusão, é a ratazana (e também o rato). Que raio de animais estranhos e nojentos, que deus/buddha/maomé/etc havia(m) de criar. Onde anda um, é certo que andam mais uns poucos e o risco de apanhar doenças, por causa destes bichos incontinentes, aumenta às carradas.
A sério, faz-me confusão olhar para os ratos e/ou ratazanas; metem-me nojo e a anatomia deles faz-me confusão. Já repararam que as patas dianteiras destas pragas são parecidas com as mãos dos seres humanos? Eu acho-as assustadoramente semelhantes. Se calhar ainda vão ser eles a próxima espécie no topo da cadeia alimentar...
Sou defensor da vida animal, mas não me importava nada que estas espécies de monstros com patas fossem exterminadas.
Cruel?! Talvez! Mas que hei-de fazer, não gosto mesmo nada destes bicharocos.
publicado por brunomiguel às 19:12 | link do post | comentar