Psicadélicamente falando

fractalNum post anterior eu falei do meu baixo estado de humor e de como animei quando ouvi música, psytrance para ser mais específico, e coloquei a pergunta "Porque é que a música nos influencia tanto?".
No meu caso, o trance psicadélico e vários dos seus sub-géneros animam-me. Consigo criar imagens no cérebro só de ouvir a música, sem ter que recorrer a qualquer tipo de droga, e se misturar cores vivas e imagens abstractas e/ou fantasiosas à música, atinjo o nirvana. Este estilo de música dá-me uma sensação de bem estar, calma e excitação, tudo ao mesmo tempo. Não conheço a cultura por detrás da música porque nunca fui a nenhuma festa, por falta de dinheiro e medo de me meter em cenas que não quero ter a fritar o cérebro. Mas não, ninguém é obrigado a papar cugas ou usar mesca para estar numa festa, mas há sempre esse risco, como num bar há o risco de sair de lá todo torto e cheio de álcool no miolo.
O trance psicadélico não tem nada a ver com aquelas fatelices de Scooter e Armin Van Buuren. O trance psicadélico é para ajudar a mente não para a matar de tédio com músicas de 3 acordes e sempre a tocar o mesmo.
Nota: a imagem do post foi criada por mim no gnofract4d. podem ver a imagem em tamanho decente aqui.
publicado por brunomiguel às 14:31 | link do post | comentar