Inclinações

what a wonderful world

Hoje, ao ler o Mental Floss, fiquei a saber uma coisa interessante (pelo menos para mim): a Torre de Pisa não é o edifício construido pelo homem com mais ar de quem quer cair e fazer uns bons estragos com o impacto. Há, pelo menos, três edifícios, também eles no continente europeu, com maior inclinação que a torre italiana: um pub e uma loja em Inglaterra e uma capela na Alemanha.

Não querendo gozar ou aproveitar-me da desgraça alheia, como se fosse um canal televisivo a mostrar o drama de uma senhora que não sabe do seu gatinho, agora há um edifício lá para os lados de Setúbal que parece querer entrar no top dos edifícios inclinados, não para uma arte, mas para o lado.

Por muito estranho que pareça, não são só o edifícios que estão inclinados. Nós, portugueses, também temos alguma inclinação, mas para assaltos a caixas multibanco e centros comerciais, para a condução sobre o efeito de álcool, para acidentes com autocarros e até para nos queixarmos constantemente da "crise".

Crise há, mas não é financeira, é de inteligência - de falta dela. O tempo das vacas gordas já acabou à muito tempo, mas parece ainda haver muitas pessoas que ainda não se aperceberam disso e fazem empréstimos atrás de empréstimos. Querem uma tv nova ou um carro novo? Vai um empréstimo. Precisam de um computador novo para o ME2.0? Mais um empréstimo. Férias? Vamos lá ao banco que eles emprestam.

Mas quando o banco não empresta, assalta-se a mercearia da rua, o shopping da zona ou o multibanco do bairro. Depois bebem-se uns copos, acelera-se com o carro, e vai-se contra uma habitação, para esta entrar no top de edifícios inclinados, sem antes causar o despiste de um autocarro. No final, atiramos as culpas ao governo e à internet, que só tem sites que promovem o suicídio e o masoquismo.

Já cantava o Louis Armstrong, no tempo em que as vozes não eram trabalhadas para parecerem boas: "What a wonderful world".
tags:
publicado por brunomiguel às 05:25 | link do post | comentar