Zangam-se as comadres, introduzem-se licenças?

A Microsoft, em Junho passado, afirmou que não tem qualquer tipo de ligação à licença GPL3. A Novell saiu em seu auxílio e disse que assumiria todas as responsabilidades de suporte para o software sob GPL3. Mas agora, a empresa decidiu actualizar o seu NTAP (Novell Technology Assurance Program) para incluir o acordo com a empresa de Redmond.

A actualização do Novell Technology Assurance Program não trará nada de novo, a não ser que os utilizadores de software GPL3 distribuido pela empresa também estarão protegidos de eventuais processos judiciais por alegadas violações de propriedade intelectual. Se assim for, então a Novell está a desmarcar-se um pouco. Será que isto acontece porque foi processada por uma empresa que recentemente contratou dois empregados da Microsoft?

Eu não sou advogado, nem percebo nada de direito, mas isto não significa que a Microsoft, assim que a Novell começar a distribuir software licenciado com a GPL3, estará sob a alçada desta licença? Se assim for, então as "bardas" que o Mestre Ballmer, o adivinho, anda a mandar caiem logo por terra, certo? Mas será que a comunidade precisa de ver a Microsoft abrangida pela GPL3 ou é uma forma desta empresa não chatear muito e deixar a inovação continuar?

{Fonte: 451 Chaos Theory}
tags:
publicado por brunomiguel às 14:54 | link do post | comentar