Como ser um geek a sério

Se alguém quiser ser um geek a sério, e não apenas um pseudo-geek, tem que preencher os três requisitos fundamentais; utilizar GNU/Linux, ver - pelo menos - dois documentários relacionados com a temática Software Livre e ter um altar com a foto do Linus Torvalds ou do Richard Stallman.

Eu cumpro os três requisitos na sua totalidade. Tenho o Debian GNU/Linux instalado no meu computador pessoal, já vi bem mais que dois documentários sobre Software Livre e tenho dois altares - um para o Linus Torvalds e outro para o Richard Stallman. E mais, costumo sacrificar mosquitos nestes altares.

Vocês devem estar a pensar que eu sou um maluquinho que fugiu de um hospício, mas não sou! Todos os altares envolvem um qualquer tipo de sacrifício, e todos os sacrifícios envolvem (ou deviam envolver) sangue; vejam, por exemplo, o cristianismo com o vinho a representar, não uma bebedeira, mas o sangue de jesus. Como vivo numa aldeia, o que não falta é "bicharada"; deste "bichedo" todo, o que tem mais sangue é o mosquito, o insecto vampiro. É este sangue dos mosquitos, algum dele roubado de mim por estes terríveis sanguinários, que acalma estes dois colossos do software livre. Uma cerveja também funciona, mas não tem tanta piada.

Querem ser geeks a sério? Vejam se cumprem à risca estes três pontos que mencionei. Se cumprirem, os meus parabéns, são oficialmente malucos! Se não cumprirem, ainda estão a tempo; um pouco de esforço é suficiente.

Já de agora aproveito para dizer que, apesar de ter a barba grande, barriga e usar software livre, não sou (nem quero ser) geek. Irei continuar a sacrificar mosquitos, galinhas em determinadas alturas, mas não ambiciono ser catalogado com esse termo. Nem mesmo que a Alta Autoridade para o Apelidamento Geek, também conhecida como "pequena hiena", me venha dizer que o sou, eu continuo a dizer que não sou. Ah, e este post surgiu-me na mente, do nada, talvez por ser o "Dia Mundial da Saúde Mental".
publicado por brunomiguel às 23:50 | link do post | comentar