Água salgada pode ser o próximo combustível "verde"

oceanoDurante uma experiência em que pretendia encontrar uma forma de matar as células cancerígenas, John Kanzius descobriu acidentalmente como queimar água do mar.
John Kanzius estava a realizar uma investigação que visava a destruição de células cancerígenas através da inserção de partículas nano metálicas – que seriam atraídas apenas pelas células malignas - num paciente com cancro; o paciente seria, posteriormente, sujeito às ondas de rádio emitidas por um emissor criado por John, causando o aquecimento das partículas e consequente destruição das células más. Mas, durante uma apresentação sobre a forma como as ondas de rádio aquecem as partículas de certos metais, alguém reparou na condensação criada dentro do tubo de ensaio utilizado e sugeriu a John a experimentação do processo de dessalinização. O resultado, para espanto de todos, não foi a separação do sal da água, mas uma chama.
Esta descoberta apanhou de surpresa a comunidade científica, que se mostrou bastante relutante em relação a este fenómeno e considerou tratar-se de uma farsa. Os investigadores da empresa APV, intrigados com esta alegada descoberta, resolveram testar o processo e confirmaram que a água do mar, quando dentro do campo de acção das ondas de rádio do emissor, criava uma chama.
De acordo com Rustum Roy, químico da Universidade Penn State, a água do mar arde porque as ondas de rádio provocam um enfraquecimento dos elos que ligam os componentes da água salgada, causando a libertação de hidrogénio. É o hidrogénio libertado durante o processo que faz com que haja chama. A temperatura gerada por este processo pode chegar aos 1600 ºC.
O autor da descoberta já se encontra à procura de fundos para a sua pesquisa e afirma que está disponível para vender a sua invenção, caso uma empresa mostre interesse nela.

{Fontes: Post Gazette && WKYC.com && vídeo reportagem do canal Channel 3}
publicado por brunomiguel às 00:13 | link do post | comentar