Quarta-feira, 22.10.08

Soft word wrap no Emacs

Normalmente o Emacs faz um wrap às palavras, isto é, quando uma palavra não cabe na linha, ele divide-a e passa o "excesso" para a linha seguinte. Em vez disto, é possível obrigar o Emacs a fazer um hard wrap às palavras, ou seja, quando uma palavra chega ao limite da janela ele insere-a na linha seguinte. Mas esta solução tem um problema: quando a palavra passa para a linha seguinte, por não caber na linha em que estão a escrever, é criado um novo parágrafo. Se o documento for aberto sempre no Emacs, tudo parece estar bem; contúdo, se o abrirem noutro editor de texto verão que existem parágrafos onde não devia.

A esmagadora maioria das vezes utilizo o Gedit em vez do Emacs - e, muitas vezes, dou por mim a usar as teclas de atalho do Emacs no Gedit. Mas há alturas em que me apetece usar o famoso editor de texto criado por Richard Stallman. Quando tenho que copiar o texto escrito no Emacs para o blog ou outro local, tenho que reformatar o texto. Isto evita-se com um pequeno script em lisp chamado longlines.el. As instruções e link de download estão no Penguin Pete's Blog.

Para quem programa, este script pode não ter grande utilidade, se é que tem. Mas para quem bate texto, é quase uma questão de vida ou morte. A produtividade aumenta significativamente com o longlines.el, porque não se perde tempo a reformatar o texto fora do Emacs.

publicado por brunomiguel às 18:45 | link do post | comentar
Sábado, 16.08.08

O Sol quer cegar-me

sol

Acho que o jornal Sol me quer cegar com o seu tamanho microscópico do texto dos artigos. Ao menos têm lá uma opção que permite aumentar ou diminuir o tamanho do texto, mas ele fica grande demais quando se aumenta o texto com essa opção, para além do facto dele dever ser apresentado num tamanho legível aos visitantes logo de início.

publicado por brunomiguel às 23:03 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Sexta-feira, 13.06.08

Podiam aumentar um pouco o tamanho do texto, não?

Enquanto via alguns links que o Mário Martins me deixou sobre o Tratado de Lisboa, acabei a visitar aquela que me parece ser a página oficial do Tratado: tratadolisboa.eu. Quando abri o site, estava a ver que ficava cego, tal foi a força que tive que fazer com os olhos para conseguir ler todo aquele texto em tamanho ultra-hiper-mega-pequeno.
Os criadores do site não devem saber que o texto muito pequeno é difícil de ler e que os DIVs são melhores que as tabelas - na maioria dos casos, pelo menos.
screenshot tratadolisboa.eu
A imagem foi reduzida para caber nos 540 pixeis do layout destinados aos posts. Mas se clicarem nela, poderão ver como me aparece o site. Tenham em atenção que o texto é mesmo muito pequeno.

Infelizmente, este não é problema exclusivo deste site. Na FAQ do Tratado Europeu, disponível no eurocid.pt, a coisa não é melhor. O texto continua minúsculo, mas ao menos permite a alteração do tamanho através de dois botões situados mesmo abaixo do botão de pesquisa.
screenshot tratadolisboa.eu
Tal como a anterior, também esta imagem também foi reduzida para encaixar correctamente no layout. Cliquem nela para a verem em tamanho real.

Deixo aqui a sugestão aos responsáveis por estes sites: aumentem o tamanho do texto. Tenham em atenção que existem pessoas que utilizam browsers e sistemas operativos decentes; o mundo não é só o fraquinho do Windows.

publicado por brunomiguel às 22:07 | link do post | comentar | ver comentários (6)
Quarta-feira, 04.06.08

Já está quase

Já acabei o rascunho da análise (não é bem uma análise, mas anda lá perto) do gNewSense. Acabou por demorar menos do que esperava; umas horas - talvez seis?! - foram suficientes para escrever quatro páginas de texto e quase meia página de referências.

Agora, há que fazer as devidas revisões e alterar o que achar necessário. Se tudo correr bem, no máximo até ao final da semana já publico o texto no Programas Livres. Se correr mal, que é como quem diz, se me apetecer mudar tudo, só mesmo na próxima semana é que o texto aparece no PL.

 

Este texto trouxe-me à memória alguns artigos que escrevi à uns anos e que me faziam pesquisar um bom bocado sobre o assunto e reler o texto imensas vezes enquanto o escrevia. Já tinha saudades, pá! Foi um tónico para o cérebro.

Hoje, é quase só posts curtos no blog, sem pesquisas muito aprofundadas e sem leituras de 30 e mais minutos a vários artigos. São outros tempos, em que a informação tem que ser consumida à pressa, não vá ela perder o prazo de validade.

Análise ao gNewSense está no forno

A pedido do João Matos, estou a fazer uma pequena review ao gNewSense 2.0. Quer dizer, pequena ainda é; mas a continuar assim, vai acabar em três ou quatro páginas no OOWriter, se não for mais.

Em abono da verdade, tenho que dizer que esta análise tinha sido prometida por mim ao João no início do mês passado, se não estou em erro. Só que, como me esqueço de tudo, acabei por não a fazer. Mas agora já está a ser feita.

 

O texto deverá começar com uma pequena introdução histórica, para situar os leitores e para facilitar a compreensão do gNewSense. O resto do texto ainda está por escrever, mas deverá passar por uma explicação dos objectivos do projecto, a base e a filosofia - aquelas coisas da praxe.

 

Agora, vou dormir que já se faz cedo (sim, cedo, porque 2h da manhã não é tarde, é cedo) e o sono começa a apertar. Não tarda nada são 2:30 e eu tenho que acordar daqui a 7 horas.

publicado por brunomiguel às 02:06 | link do post | comentar | ver comentários (1)

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

subscrever

RSS

Newsletter

posts recentes

arquivos

links