Sexta-feira, 04.06.10

Uma acção que não se vê todos os dias

O eurodeputado português Rui Tavares anunciou hoje o lançamento de bolsas de estudo que cobrem várias áreas profissionais, financiadas com 1.500 euros mensais a partir dos seus próprios rendimentos.

“Independentemente de achar que deve haver uma política pública para as bolsas de estudo acho que não faz mal que os indivíduos também possam participar (…) Eu, apesar de o salário de eurodeputado não ser essa coisa tão grande quanto se diz, posso fazê-lo agora", afirmou o deputado eleito pelo Bloco de Esquerda.

O resto do artigo pode e deve ser lido no site d'O Público. via @paulasimoes

publicado por brunomiguel às 18:29 | link do post | comentar | ver comentários (7)
Sábado, 03.04.10

Tão depressa não deveremos ter um ordenado mínimo adequado ao custo de vida

Há uns dias, alguns militantes do PCP encontravam-se a distribuir panfletos, acerca do PEC, em frente ao edifício onde trabalho. Neles, criticavam o Plano de Estabilidade e Crescimento apresentado pelo Governo e propunham algumas soluções, como o aumento do salário mínimo para €600 até 2012, se não me engano.

Quando fui abordado por uma das pessoas que distribuía os panfletos, senti-me insultado. O homem, de braço estendido e papel na mão, diz-me «É do Avante», como se eu fosse burro que não soubesse o que é o PCP e o PEC, e que só acharia interessante por ser deste evento do Partido Comunista Português. Sinceramente...

Abordagens estúpidas à parte, ontem fomos jantar a um restaurante japonês e a conversa acabou por incluir a actual situação económica do país e esta proposta de aumento do PCP. Eu disse que defendia um aumento do ordenado mínimo e ela disse que isso, agora, é irrealista.

Eu defendo este aumento porque, com €475 de ordenado base mais subsídio de alimentação, com renda para pagar, vejo-me à rasca para chegar ao final do mês com algum dinheiro que seja. Mas ela apresentou alguns bons argumentos para mostrar que o aumento, de momento, não é viável para a situação económica do país: a crescente dívida do país e a necessidade de arranjar receita (que poderá passar por um aumento dos impostos, já por si demasiado altos para a carteira da maioria dos cidadãos).

Não é que ela esteja contra. Bem pelo contrário. A actual situação, para ela, é que não permite que esse seja um objectivo realista se queremos recuperar e deixar de ser um dos PIGS da Europa, mesmo que estejamos neste momento na fase de recuperação (ainda que lenta) da crise.

Eu tomei em consideração os argumentos, não por termos uma relação (que foram mais do que os que aqui indiquei), mas porque ela sabe muito de economia e finanças, ou não fosse essa a área dela. O prémio que recebeu por causa da tese dá-lhe ainda mais credibilidade. E, claro, como é tão fixe é impossível não lhe dar razão. ;)

Com esta conversa, concluí que tão depressa não teremos o ordenado mínimo ao nível que deveria estar para fazer face ao custo de vida. Nem mesmo quando a situação económica de Portugal estiver de boa saúde (sim, eu perdi quase totalmente a confiança na classe política e na sua capacidade para resolver problemas).

publicado por brunomiguel às 15:19 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Sexta-feira, 25.09.09

ANSOL publica resultados da campanha "Eleições Legislativas 2009"

A campanha "Eleições Legislativas 2009", lançada pela Associação Nacional para o Software Livre (ANSOL), chegou ao fim. Os resultados das perguntas aos partidos inquiridos foram anunciados pelo presidente a associação, Rui Seabra, através de um press-release.

Ao todo, 10 perguntas foram enviadas a todos os partidos com assento parlamentar. O objectivo era saber qual a posição de cada um em relação ao software livre e às liberdades na era digital.

De todos os partidos inquiridos, apenas 4 - BE, CDU, PCTP/MRPP e PS - responderam a todas ou quase todas as questões. MEP e PSD ficaram-se por respostas vagas.

Com base nas respostas e posições anteriores defendidas na Assembleia da República, a ANSOL criou uma lista com recomendações de voto face às respostas. A CDU é o partido com maior percentagem de recomendação (94%), seguido do BE (93%) e do PCTP/MRPP (90%). PS ficou-se pelos 53% e MEP pelos 9%; PSD e CDS/PP têm pontuação negativa. Os restantes partidos não responderam.

«Aparentemente todos são adeptos do Software Livre, acham bom promove-lo e defende-lo; mas há uma diferença de clareza entre quem respondeu às perguntas, quem tomou um posição genérica e quem não deu feedback de todo», afirma o presidente da ANSOL.

A campanha está disponível em http://ansol.org/politica/legislativas2009 e inclui uma tabela onde todos os partidos candidatos se encontram pontuados.

Abaixo, ficam as links para a campanha, perguntas, respectivas respostas e recomendações de voto da ANSOL.

Campanha: http://ansol.org/politica/legislativas2009
Perguntas: http://ansol.org/politica/legislativas2009/perguntas
Respostas: http://ansol.org/politica/legislativas2009/respostas
Recomendações: http://ansol.org/politica/legislativas2009/recomendacoes

Ler também: Recomendações de Voto para as Legislativas > Software Livre no Sapo

A minha suposta posição política

posição política
Clica na imagem para a veres em tamanho real

De acordo com este teste, sou de Esquerda Liberal.

tags:
publicado por brunomiguel às 00:16 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Sábado, 16.05.09

Novos Desempregados

No seguimento das Novas Oportunidades, gostava de deixar aqui um desafio ao actual executivo: a criação do programa Novos Desempregados. Pelo andar da coisa, vai ser preciso.

publicado por brunomiguel às 22:27 | link do post | comentar

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

subscrever

RSS

Newsletter

posts recentes

arquivos

links