Sexta-feira, 30.04.10

Mariano Gago, o ministro pirata?

 

o ministro pirata

Mariano Gago, o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do actual executivo português, afirmou numa conferência em Madrid que a chamada pirataria não deve ser vista como um inimigo pela indústria de entretenimento, «visto que foi uma fonte de progresso e de globalização».

Quem ficou bastante indignado por isto foi o director da Associação de Gestão de Artistas, que afirmou que é «um absurdo, é um absurdo o que o prof. Mariano Gago disse e disse-o na União Europeia». Também, Miguel Guedes disse que «são declarações de uma absoluta irresponsabilidade, gravíssimas, e que mostram que o prof. Mariano Gago percebe muito pouco disto. Quando ele fala... quando terá falado sobre a possibilidade de a pirataria ser uma fonte de liberdade e uma fonte de conhecimento, mostra que está completamente a leste das intervenções culturais no momento, mostra um enorme desrespeito pela actividade de quem trabalha».

Quem anda um pouco a leste parece ser Miguel Guedes. Talvez alguma leitura o ajudasse a ficar mais a... oeste?! O Miguel Caetano tem alguma bastante interessante no Remixtures; por exemplo, este e este posts.

Anyway, apesar das palavras positivas de Mariano Gago, não deverá tardar muito até ele vir "corrigir-se".

Actualização: Mariano Gago já se "corrigiu". via Jonasnuts

 

publicado por brunomiguel às 12:50 | link do post | comentar
Segunda-feira, 15.12.08

Espanhóis protestam de forma original contra posição do governo espanhol em relação à internet

Alguém pode censurar os espanhóis que vão, no próximo dia 20, descarregar conteúdos sem autorização dos autores, em frente à sede do PSOE? Eles, na minha opinião, têm razão quando dizem que as ferramentas como as redes P2P ajudam a expandir e democratizar a cultura. A cultura deve ser livre, sem invalidar que os seus criadores recebam dinheiro por ela, se assim entenderem. Criar este equilíbrio não deve ser fácil, mas devia ser feito.

via jcalado@twitter e SOL

publicado por brunomiguel às 23:53 | link do post | comentar
Terça-feira, 28.08.07

TorrentSpy bloqueia acessos provenientes dos Estados Unidos da América

O TorrentSpy está desde ontem, dia 27 de Agosto, a bloquear os acessos dos utilizadores americanos. Sempre que um utilizador dos Estados Unidos da América acede ao site, é redireccionado para uma página que contém uma mensagem que contém uma explicação para este bloqueio.
Na entrevista dada por Justin Bunnell, criador deste tracker, ao site TorrentFreak, Justin afirma que esta medida visa apenas proteger os seus utilizadores e respeitar as leis europeias sobre privacidade.
Uma outra razão para este bloqueio poderá ser o processo que está a decorrer em tribunal, onde a MPAA (Motion Picture Association of America) exige que o TorrentSpy registe todos os endereços IP que acedem ao serviço e lhos entregue.

{Fonte: TorrentFreak}
Sexta-feira, 24.08.07

Administrador do tracker EliteTorrents condenado a usar Windows

O responsável pelo tracker EliteTorrent, Scott McCausland, foi condenado a 5 meses de prisão efectiva e a 5 meses de prisão domiciliária, após de ter confessado ser o autor do upload do filme "Star Wars: Episode III - Revenge of the Sith" nas redes de partilha de ficheiros (p2p) pouco tempo antes do seu lançamento nas salas de cinema.
Para além dos  dez meses de prisão, Scott vai ainda ser obrigado a usar Windows, por forma a que os seus acessos online possam ser monitorizados. Esta obrigação em utilizar Windows prende-se com o facto do software de monitorização usado apenas funciona nestes sistemas.
Compreensivelmente descontente com esta decisão, o administrador do tracker - assumido fã de GNU/Linux -, disse que vai contestar a decisão do tribunal que o obriga a utilizar Windows.

{Fonte: The Register}
Quinta-feira, 02.08.07

O "sucesso" dos sistemas DRM

Alexander Wolfe, um dos bloggers do The Information Week (que costuma dizer umas coisas algo polémicas sobre GNU/Linux, mas isso agora não vem ao caso), fez uma compilação interessante dos sistemas DRM usados e do seu, vamos lá, sucesso.
No seu artigo, o autor fala dos sistemas de "protecção de conteúdos" usados pela indústria e do seu total fracasso, com a excepção do Rhapsody DNA usado pela RealNetwords, para o qual ele não tem conhecimento de nenhum crack.
Ao longo do texto, até o mais alienado acerca deste assunto percebe que estes pseudo-sistemas só encarecem os produtos e que a sua ineficácia é gigantesca. Por isso não é de admirar que as redes P2P proliferem; ao preço que estão os CDs, DVDs, singles e outros media protegidos ou não por DRM, é natural que o consumidor se vire cada vez mais para a partilha de ficheiros.

Artigo completo: DRM Scorecard: Hackers Batting 1000, Industry Zero
publicado por brunomiguel às 18:11 | link do post | comentar

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

subscrever

RSS

Newsletter

posts recentes

arquivos

links