Quarta-feira, 29.08.07

Free Software Foundation afirma que a Microsoft não está livre da GPL3

Pouco tempo depois do lançamento oficial da GPL3 , a Microsoft disse que não tinha nada a ver com esta licença. Mas a Free Software Foundation , num comunicado divulgado ontem, diz que as coisas não são bem assim.
No comunicado, a FSF Free Software Foundation ) afirma que, ao distribuir ou pagar a outro para distribuir em seu nome software sob licenciado com a GNU General Public License 3 (por exemplo, os cupões que compraram à Novell para distribuir o SLED 10, sem data de termino definida), a Microsoft terá que respeitar a licença e não poderá processar ninguém por violação de patentes.
If Microsoft distributes our works licensed under GPLv3 , or pays others to distribute them on its behalf , it is bound to do so under the terms of that license .  It may not do so under any other terms ; it cannot declare itself exempt from the requirements of GPLv3 .
Durante o comunicado, são feitas fortes críticas à Microsoft e às suas alegadas - e já dadas como provadas pela UE - práticas monopolistas e anticompetitivas e acusa ainda a empresa de tentar destruir o software livre.
A Free Software Foundation termina o comunicado com uma promessa: defender das acusações de violação de propriedade intelectual todos aqueles que licenciaram o seu software sob a GPL3 .
We will ensure--and, to the extent of our resources, assist other GPLv3 licensors in ensuring- that Microsoft respects our copyrights and complies with our licenses.
Terça-feira, 28.08.07

Bug na GPL3?

Li à pouco um artigo no Linux Devices sobre uma possível forma de contornar a clausula da licença GPL3 conhecida como "Tivoization", talvez a mais conhecida da licença.
De acordo com Bruno Zoppis , funcionário da TRANGO (empresa dedicada à criação de software de virtualização), é possível dar a volta à GPL3 através do uso de uma tecnologia de virtualização conhecida como "hypervisor". Graças a esta tecnologia, os fabricantes poderão respeitar a GPL3 sem permitir a instalação de versões modificadas do software usado.
Muito resumidamente, a tecnologia "hypervisor " permite correr vários sistemas operativos simultâneamente no mesmo computador, todos eles isolados uns dos outros.
Não sei se o uso desta tecnologia será uma forma de dar a volta à GPL3, mas a ser, é uma machadada nas pretensões da Free Software Foundation.

"Using a hypervisor to reconcile GPL and proprietary embedded code"

[Fonte: Linux Devices]
Segunda-feira, 06.08.07

Mark Shuttleworth faz fortes críticas à Microsoft

Numa entrevista dada à Eweek, Mark Shuttleworth falou das alegadas infracções de patentes da Microsoft e fez fortes críticas à empresa, acusando-a de fazer extorsão.
Mark Shuttleworth acusa a Microsoft de tentar dividir a comunidade open-source, ao alegar infracção de 235 patentes, e de se aproveitar da fraqueza financeira de algumas distribuições para comprar acordos. O presidente da Canonical também aponta o dedo às distribuições que fizeram os acordos de protecção com a Microsoft, por se deixarem arrastar para uma teia de incertezas, medo e confusão (FUD).
To say, as Ballmer did, that there is undisclosed balance sheet liability, that's just extortion and we should refuse to get drawn into that game. On the other side, if Microsoft is concerned about its intellectual property, there is no one in the free software community that wants to violate anyone's IP. Disclose the patents and we'll fix the code. Alternatively, move on.
Durante a entrevista, Mark Shuttleworth é questionado sobre a GPL3. Ele afirma que a GPL3 é melhor que a sua antecessora e que o novo Ubuntu vai estar sob esta licença. Quanto às criticas de Linus Torvalds à nova GPL e à não passagem do kernel do Linux para esta licença, ele acredita que o ditador benevolente - Linus Torvalds - apenas quer o melhor para o kernel e que não há problema em haver ou não mudança de licença.
Quanto a possíveis acordos de interoperabilidade com a Microsoft, o homem forte da Canonical afirma que eles não estão postos de lado, mas que os acordos de protecção são uma carta fora do baralho.
Quinta-feira, 26.07.07

SugarCRM sob a GPL3

A pouco e pouco, os programadores e empresas do mundo FOSS vão percebendo que a GPL3 afinal não é má, mas sim uma forma de os proteger e obrigar todos os que querem usar software livre a fazer jogo limpo.
A SugarCRM foi a mais recente empresa a perceber isto, ao adoptar a versão 3 da GPL para a próxima versão comunitária do seu software, com lançamento marcado para Setembro. O anúncio foi feito pelo CEO da empresa, John Roberts, durante a O'Reilly Open Source Conferente.
Sugar Community Edition 5.0 will fully support GPLv3 when the software is made available
{Fonte: LinuxWatch}
publicado por brunomiguel às 21:59 | link do post | comentar
Segunda-feira, 16.07.07

Como vai a adopção da GPL3

gpl3Para já, são poucos os projectos a adoptar a nova versão da GPL. Até ao dia de hoje, 171 projectos mudaram para a GPL3 e 7 para a LGPL3. Se quiserem estar actualizados sobre o número de programas a usar a GPL3, a Palamida tem um site onde mantém um registo do software que adoptou esta licença.
Entre o software mais conhecido a adoptar a nova licença da FSF, estão o Samba, o CDex, o eyeOS, o GNU tar, o GnuPG, o Joomla, o MyServer, o Tar e o Rosetta.
Entretanto, o Linus Torvalds continua a não querer passar o kernel do Linux para a GPL3, nem a fazer dupla licenciação. O criador do kernel do Linux acha que a GPL3 não se adequa ao que ele quer e considera que há muito extremismo, restrições e fanatismo por detrás da licença.
"Given that I think that what Tivo did is fine, the GPLv3 'solution' is not a solution at all, is it? Quite the reverse. It's an unnecessary restriction that doesn't actually solve anything at all, it just adds problems of its own. And yet you claim that you cannot understand why I (and others) would consider the GPLv3 to be a 'worse' license. It is obviously worse to anybody who thought that Tivoisation wasn’t a problem in the first place!"

A isto, na minha terra, chama-se "subir a merda à cabeça". Como a taxa de adopção do Linux está a aumentar, parece-me que ele tem medo que, ao mudar de licença, a adopção estagne ou diminuia. Mas quando alguém lhe começar a plagiar o trabalho, parece-me que ele vai logo a correr mudar de licença.
publicado por brunomiguel às 22:12 | link do post | comentar

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

subscrever

RSS

Newsletter

posts recentes

arquivos

links