Terça-feira, 08.06.10

A facilidade com que (não) me distraio

resultado do teste

Este pequeno teste do The New York Times - feito sem cheats - diz que eu nem sou pessoa para me distrair. E eu que achava que a minha concentração até nem era das melhores.

via Paula Simões

Quarta-feira, 02.06.10

Um relógio original em Tóquio



Este relógio está situado em Shibuya, Tóquio. Tem uma forma bastante original e musical de dar as horas, não tem?

via Laughing Squid

Domingo, 30.05.10

Sabonetes em placas de petri

petri soaps

Alguém se lembrou de criar uns sabonetes com um aspecto bastante nojento - talvez o mais nojento que verão. O fabrico é caseiro e é maioritariamente usada uma base de óleo de coco para os fazer, que depois é colorida para replicar os padrões de vários tipos de bactérias. A cereja no topo do bolo é a embalagem: uma placa de petri.

Pena é o preço: 7,75 dólares, fora portes. Mas, também, um sabonete de E. coli ou Influenza de vez em quando não fará assim tanto mal à carteira.

Link, via neatorama.com

brunomiguel às 13:22 | link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 27.05.10

Lancheiras sci-fi

lancheiras sci-fi

Digam lá, não gostavam de levar uma destas 12 lancheiras com motivos de séries de ficção científica da vossa adolescência para o trabalho? E se 12 não forem suficientes, têm aqui mais de 100.

via io9

brunomiguel às 13:18 | link do post | comentar | favorito

Filho de jornalista bate com um Porshe de €180 mil dólares contra um portão e os meus disparates menos dispendiosos

porshe 997 turbo
Peter Cheney/The Globe and Mail

Os desastres de uns por vezes recordam-me dos meus, quer da minha infancia, adolescência ou vida adulta. Foi exactamente isso que aconteceu quando li a notícia acerca do filho do jornalista do Globe and Mail, Peter Cheney, que chocou com um Porshe 997 deste ano contra o portão da garagem.

Peter Cheney escreve sobre automóveis para o Globe and Mail. Naquela altura tinha em sua casa um Porshe 997 Turbo, avaliado em 180 mil dólares (julgo que canadianos, já que o jornal é canadiano). Este carro tem 500 cavalos e atinge uma velocidade máxima de origem que ronda os 330 km/h.

Um dia, o seu filho decide mostrar o carro a um amigo mas acaba a destruir o portão da garagem dos pais e a dar um novo look ao veículo. Rapidamente a notícia do desastre começou a espalhar-se. Vários colegas, amigos e conhecidos de Peter Cheney relataram situações semelhantes que tinham ocorrido com eles - numa delas, por exemplo, o resultado de uma criança ter deitado na sanita um boneco foi uma despesa de 100 mil dólares. Isto, parece, inspirou o jornalista a relatar o acontecimento na sua coluna do Globe and Mail (que, off-topic, tem um site muito porreiro).

Os meus desastres

Eu, felizmente, nunca dei uma despesa destas aos meus pais. Quando era mais novo tendia a fazer estragos numa escala muito menor. Por exemplo, eu e um primo meu tínhamos por hábito atar uma pedra a um cordel, para depois a atirarmos ao telhado de uma vizinha. Depois de consumado o acto, cada um de nós corria para a sua casa (uma fuga nada inteligente).

Outra era andar constantemente à porrada com o meu irmão, mas isto era mais uma brincadeira entre nós do que outra coisa, tal era a frequência. Ou desmontar os relógios digitais que o meu pai passava a vida a oferecer-me e depois montá-los com peças a menos, isto quando o conseguia fazer.

Tenho mais uma série deles, alguns bem recentes, mas esses não resultaram em qualquer gasto, por isso ficam de fora.

E vocês, têm alguma situação destas para relatar? Não vale apontarem este blog como um desses disparates.

via Boing Boing

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar

 

subscrever

RSS

Newsletter

posts recentes

arquivos

links