Quinta-feira, 31.07.08

Humor milenar

«Algo que nunca aconteceu desde tempos imemoriais: uma mulher jovem não deu um traque sobre os joelhos do seu marido».

Esta é, de acordo com o jornal espanhol El Mundo, a anedota mais antiga de que há registo. É de origem suméria e remonta a 1900 a.c.

via RTP

publicado por brunomiguel às 18:16 | link do post | comentar | ver comentários (6)

Magalhães sem vontade de descobrir

Por causa do Magalhães, muitas teclas dos teclados têm perdido tinta. Anda quase toda a gente a escrever sobre isto; eu próprio também o fiz. Mas pouco sabia eu sobre isto. Vi um vídeo que o Sapo Tek linkou e uma reportagem da SIC, e reparei que este pequeno portátil estava a correr a Caixa Mágica 12.

Porreiro, pá. Finalmente vou ver o Governo fazer publicamente uma boa aposta no sector das tecnologias de informação - pensou o Bruno, o melhor blogger deste mundo e do outro. E, por causa disto, escrevi um post aqui no blog sobre o Magalhães, apesar de não estar muito convencido em relação ao projecto (é o hábito de ver as poucas boas ideias mal aplicadas).

Hoje, depois de abrir o Liferea e receber uma avalanche de posts, vi que as minhas desconfianças em relação ao projecto não eram de todo infundadas. E antes que me venham dizer que agora é fácil dizer que estava desconfiado, quero dizer que eu sou muito desconfiado por natureza, por isso é normal eu ter uma atitude relutante.

Continuando. Parece que não houve concurso para o Magalhães, a Intel vai tornar-se conselheira tecnológica do Ministério responsável por este projecto e ao contrário do que o prezado Robô Sócrates, o Primeiro-Ministro Tecnológico, dizia, os primeiros modelos do Magalhães não vão usar o tal «chip de última geração» da Intel, mas sim um Celeron.

Não questiono a escolha da Intel como parceira, mas sim o facto dela ter sido escolhida sem que, aparentemente, não tenha existido um concurso público e ainda se tornar conselheira tecnológica do Estado. Com o nome Magalhães dado ao projecto, esperava uma vontade descobridora traduzida num concurso público para escolher a melhor proposta, se é que haveria alguma. Ao invés, parecem continuar com a atitude de «Portugal, vende-se».

via Diário de Bordo

publicado por brunomiguel às 15:26 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Querida, as férias este ano foram fantásticas

banksy
Imagem da autoria de Banksy.

publicado por brunomiguel às 02:26 | link do post | comentar
Quarta-feira, 30.07.08

KMail finalmente funciona com Gmail por IMAP

Três vivas para a equipa do KDE. Finalmente o Kmail funciona em condições com o Gmail por Imap. Foram precisos uns meses, uns quantos debugs e talvez outros tantos bug reports, mas já está. E ficou a funcionar muito bem, diga-se de passagem: o download de todos os mails, à volta de 50 mil, foi rápido e a abertura deles é igualmente célere.

Eu gosto bastante do Balsa, um cliente de email do Gnome: o programa é leve, muito bom no acesso por POP, correcção ortográfica, suporte para PGP e S/MIME e tudo o que eu preciso num cliente de email. Mas estou tentado a mudar para o Kmail, porque o acesso por Imap ao Gmail com o Balsa ainda deixa um pouco a desejar.

publicado por brunomiguel às 23:06 | link do post | comentar | ver comentários (10)

Porque não devemos ignorar a leitura dos termos de utilização

Por norma, não costumava ler a política de privacidade e os termos de utilização dos serviços web onde me registava. Sempre achei aqueles textos enormes em "legalês" uma seca do caraças. Mas depois de um post sobre este assunto que o Marcos Marado publicou no Programas Livres, passei a prestar um pouco de atenção a isto.

Agora, dou uma vista de olhos a estes contratos de utilização. Se encontrar algo que me pareça que vá devassar a minha privacidade e/ou que vá permitir aos proprietários do serviço utilizar a informação que recolhem sobre mim da maneira que lhes apetecer, começo logo à procura de outro serviço do género e não uso aquele.

Há uns minutos, quando recebi a newsletter do Sapo Tek, reparei que vinha com uma sugestão de navegação: o Jogli. Este serviço é um motor de busca que permite pesquisar músicas e respectivos vídeoclips e letras. Pareceu-me interessante e visitei-o. Como gostei do que vi, resolvi criar uma conta. Assim que me apareceu o formulário de registo, resolvi ler os termos de utilização antes de criar a conta. Quando chego ao ponto quatro, leio o seguinte:

DMG maintains information about your entire usage of the service, including (but not limited to) any action you performed on the web site and your IP. DMG reserves the right to use this information (excluding your name and contact details) in any manner shape and form.


Eu até achei isto relativamente aceitável; até que resolvi ver onde estava a definição de «contact details». Eu não a encontrei, por isso fiquei sem saber se eles se referem ao IP, endereço de email, contacto telefónico... Escusado será dizer que fechei esse separador.

Se tenho criado conta sem ler estes termos de utilização, provavelmente a minha caixa de correio teria, durante os próximos tempos, um aumento no número de spam recebido. Mas eu acho que já recebo spam suficiente, por isso prefiro deixar passar esta oportunidade para receber mais porcaria por email.

publicado por brunomiguel às 19:58 | link do post | comentar

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

subscrever

RSS

Newsletter

posts recentes

arquivos

links