Segunda-feira, 01.10.07

Nova versão do Flashplayer para GNU/Linux

A Adobe já tem uma nova versão do flashplayer 9 para GNU/Linux. Nesta versão já existe suporte para o codec de vídeo H.264 e para o codec de áudio HE-AAC, maior rapidez nos renders vectoriais em plataformas multi-cores e cache para vários componentes do Flash.

Antes de instalarem o novo flashplayer em GNU/Linux, primeiro têm que remover a versão que têm instalada e só depois podem instalar a nova. O site da Adobe tem instruções detalhadas sobre o processo de instalação.
publicado por brunomiguel às 17:55 | link do post | comentar

Microsoft e Adobe lançam-se na produtividade online

A Microsoft lançou o seu mais recente serviço online, o Office Live Workspace. O Office Live Workspace é apenas um serviço de alojamento e partilha de documentos entre utilizadores, um extra para os utilizadores de programas de produtividade para o desktop. Não terá (ou não se espera que tenha) um processador de texto, um editor de folhas de cálculo ou um criador de apresentações. O serviço está disponível, não apenas para utilizadores do Microsoft Office, mas para os utilizadores do OpenOffice e outros pacotes de produtividade.

Para já, o Office Live Workspace está em fase beta e a aceitar interessados em testar o serviço. Os utilizadores da versão beta, e futuramente da versão final, poderão guardar e partilhar mais mil documentos gratuitamente. Ao contrário do que se começa a dizer, não me parece que vá ser um "Google Docs killer".

A Adobe poderá vir a entrar no mesmo mercado do Google Docs, Thinkfree ou Zoho, ao adquirir a empresa Virtual Ubiquity, criadora do processador de texto online Buzzword. O Buzzword é um editor de texto com um design todo catita, criado com a framework Adobe Flex, mas que não era muito conhecido até agora. Outro sinal da possível entrada da Adobe no mercado online das ferramentas de produtividade é o lançamento da versão beta do Share, um serviço online de partilha de ficheiros - o mesmo tipo de serviço do Office Live Workspace.

Talvez o lançamento destes serviços seja a resposta destas empresas à entrada do Google Docs no mercado empresarial. A Microsoft quer oferecer uma forma de partilha de documentos aos seus utilizadores e a Adobe parece querer oferecer um pacote semelhante ao do Google. Se estas empresas terão sucesso, só o futuro o dirá.

{Fontes: Read/Write Web && Webware && Download Squad && ZDNet}
tags:
publicado por brunomiguel às 16:33 | link do post | comentar | ver comentários (2)

GTA Anime

Imaginem que iam jogar GTA San Andreas e, de repente, viam pikachus, doraemons e outras personagens anime aos tiros. Brutal, não? Foi precisamente isto que um grupo de japoneses fez, ao recriar, no jogo, várias personagens de desenhos animados e ainda alguns veículos destas mesmas séries.
Infelizmente não sei se é um mod, mas a ser, gostava de lhe por as mãos em cima. Um dos meus maiores desejos é ver o pikachu a dizer "pika, pika", virar-me para ele e responder: "pika, pika o camandro, pah!", e depois enchê-lo de chumbo.



{Fonte: IZ Reloaded}
publicado por brunomiguel às 14:37 | link do post | comentar

Sistemas operativos na próxima década - previsões

Este é mais um post inserido na iniciativa do PlanetGeek, Tema do Mês. O tema deste mês é “Sistemas operativos na próxima década - previsões”. é um assunto com muito pano para mangas, por isso vou evitar entrar em grandes divagações.

Na próxima década, vamos ver as duas grandes empresas de sistemas operativos proprietários – Microsoft e Apple - a passar por algumas dificuldades financeiras e, quem sabe, se não as veremos ser compradas por um qualquer motor de busca ou rede social. Esta realidade parece-me mais próxima para a Apple, que para a Microsoft.

As razões para esta minha previsão “à lá” Vilar de Perdizes são simples. A Apple é e irá continuar a ser elitista, e também é uma marca cada vez mais associada a gadgets e não a sistemas operativos. A Microsoft irá continuar a não ouvir os utilizadores e isso vai-lhe custar muito caro. Daqui a cinco meses a Microsoft vai tirar o suporte ao XP, como anunciou, mas voltará a activá-lo uns meses depois, por fruto da pressão dos utilizadores, os mesmo utilizadores que depois se fartarão de estar mais de 5 anos com o mesmo sistema operativo.

O software livre, por seu lado, vai crescer muito na próxima década. Não existe tanta pressão como no software proprietário e quem o cria, fá-lo por amor à camisola. Tenho a sensação que haverá um pequeno período de declínio, seguido dum boom causado por uma distribuição nova, que fará com que o software livre chegue a passar os 20% do total de utilizadores mundiais.

A SUN deverá conseguir uma pequena fatia de mercado durante os próximos 10 anos, com as versões comunitárias do Solaris. Infelizmente para eles, não me parece que consiga ter grande impacto no desktop, embora nos servidores possa vir a ter algum.

Estas minhas pequenas premonições são baseadas no presente e passado recente dos sistemas operativos. Enquanto uns parecem estar a estagnar no seu crescimento, outros ainda agora estão a crescer (pelo menos no mercado do desktop). Mas isto são tendências, e as tendências têm o hábito de se inverter.
publicado por brunomiguel às 02:49 | link do post | comentar

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

subscrever

RSS

Newsletter

posts recentes

arquivos

links