Sábado, 01.09.07

Será este o tombo do gigante?

pcs
Será que as previsões da queda da Microsoft no médio prazo estão correctas? Vamos analisar um pouco o passado recente da empresa, para podermos tirar algumas ilações.
Pouco tempo depois do lançamento do Windows XP, milhares de utilizadores tremeram com a infecção de worms como o blaster; foram milhares as máquinas infectadas e muitos utilizadores irados. Uns anos e dois “service packs” depois, o Windows XP pode ser considerado um sistema operativo assim-assim - continua a não ser nada de especial, mas está um pouco mais seguro e estável.
O Windows XP já me deu muita dor de cabeça. Independentemente do anti-vírus instalado, não obstante da firewall usada, acabava infectado e/ou a formatar o computador de 6 em 6 meses (no máximo). Se não fosse uma infecção, era a lentidão do sistema, que parecia demorar uma eternidade a abrir uma aplicação ou simplesmente a iniciar sessão.
Já não me recordo se foi um pouco antes, se um pouco depois, do lançamento do Vista, a Microsoft tentou impingir o IE7 como uma actualização prioritária, enganando muitos utilizadores – que ficaram compreensivelmente descontentes com isso (li muitas reclamações em vários forums). Outro movimento, talvez de marketing, que causou muito descontentamento foi o lançamento do WGA, como forma de combate à pirataria. Eu, felizmente, não tive estes problemas mas, na altura em que usava Windows, não gostei nada de ver que o WGA fazia "chamadas" para casa e que o IE7 estava marcado como prioritário (felizmente, tinha o hábito de ver os updates antes de os instalar e lá me safei do IE7 e dos problemas que ele deu a quem o instalou na altura).
Depois do Windows XP, o Vista. Este novo sistema operativo da Microsoft está a revelar-se um verdadeiro fiasco, dizem as más línguas. Por mais que a Microsoft diga que está a ter muitas vendas (as OEM devem ser o grosso do bolo), eu tenho visto muitas, mesmo muitas, reclamações deste novo sistema operativo e vários utilizadores a voltar ao WinXP. O Millenium 2,0 (Millenium, porque está a revelar uma qualidade igual ao Windows Millenium; 2,0, porque estamos a atravessar uma fase em que tudo é 2,0 – até a web – e Millenium 2,0 fica melhor que Novo Millenium) é um sistema operativo muito caro e, de acordo com quem o utiliza, muito mau; parece que as barracas com ele são constantes – não posso confirmar, porque uso Debian GNU/Linux. As reclamações que mais tenho visto e/ou lido deste sistema operativo são o bombardeamento excessivo de pop-ups do UAC (que até pede autorização para mover um ficheiro), BSODs constantes e uso desenfreado do processador, mesmo quando não se está a fazer nada.
Mesmo com estes problemas, alguns utilizadores dizem que o Vista é mais seguro que o Windows XP, mas não apresentam razões para isso. Será que é o efeito da máquina de marketing da Microsoft? O Tuxvermelho tem um post interessante sobre algumas infecções que assolam o Windows Vista – é uma boa leitura para quem acha que esse sistema operativo é mais seguro que o Windows XP.
Recentemente, o formato OOXML foi submetido para apreciação pela ISO; vários comités de vários países reuniram-se para decidir se aprovam ou não o formato. Esta votação tem causado muita polémica, ao ponto do voto sueco ser sido anulado por suspeitas de irregularidades. Agora fala-se que a votação de vários comités nacionais poderá vir a ser analisada, também por suspeitas de irregularidades no processo. Portugal, espero, será um destes casos, já que não foi permitido à IBM e a Sun a participação no escrutínio por falta de cadeiras e, depois, foi autorizada a entrada e participação a várias empresas parceiras da Microsoft (ViaTecla, Jurinfor, Primavera, etc...); pior ainda é o facto do presidente da comissão técnica portuguesa ser um representante da maior interessada neste processo: a Microsoft.
Para além da submissão do OOXML para standard ISO, a Microsoft rendeu algumas licenças para aprovação da OSI (Open Source Initiavite). A empresa procurou, com isto, tornar-se um nome no mundo open source. Mas como a votação do OOXML para standard tem vindo a causar tanta polémica, a OSI pondera rejeitar as licenças da Microsoft.
Esta vontade de querer que o seu formato e licenças sejam aprovadas rapidamente, revela algum receio de algo que ainda não consegui descortinar.
Com tudo isto, a Microsoft tem vindo a perder a confiança dos utilizadores (a quem não liga nenhuma à muito tempo). Será que, a continuar assim, será o fim da Microsoft no médio prazo? A mim, essa possibilidade parece ser, cada vez mais, uma realidade, embora continue a apostar num prazo de 10 anos. Mas esta é a minha opinião. Qual é a vossa?

Água benta não entra nos aviões

aleluia_boas_festas
À uns dias atrás, o Vaticano anunciou a criação de linhas de voo para locais sagrados do cristianismo, ao fazer um acordo com uma companhia aérea "low-cost". Um destes voos foi de Roma para Lourdes, em França; 128 passageiros embarcaram neste voo, possivelmente à procura de iluminação espiritual ou apenas para passar as férias.
À vinda para Roma, as autoridades francesas apreenderam a água benta recolhida pelos peregrinos. Ninguém podia entrar com garrafas com mais de 100 ml de uma substância líquida no avião, a não ser que fizesse o check-in das garrafas.
Há aqui uma coisa que me faz confusão. Supostamente é proibido adorar estátuas e cenas assim no cristianismo, mas as garrafas que os peregrinos adquiriram tinham a forma de uma santa e as igrejas estão cheias de estátuas. É o direito ao contraditório?
Continuando. Isto não agradou aos peregrinos, que reclamaram junto das autoridades presentes, mas felizmente as regras anti-terrorismo também se aplicam a eles.
Agora a pergunta. Quando for criada uma linha de voo para Fátima, será que as autoridades portuguesas vão aplicar estas regras ou vão fazer vista grossa?

{Fonte: Telegraph.co.uk, via Boing Boing}
publicado por brunomiguel às 01:11 | link do post | comentar

Água benta não entra nos aviões

aleluia_boas_festas
À uns dias atrás, o Vaticano anunciou a criação de linhas de voo para locais sagrados do cristianismo, ao fazer um acordo com uma companhia aérea "low-cost". Um destes voos foi de Roma para Lourdes, em França; 128 passageiros embarcaram neste voo, possivelmente à procura de iluminação espiritual ou apenas para passar as férias.
À vinda para Roma, as autoridades francesas apreenderam a água benta recolhida pelos peregrinos. Ninguém podia entrar com garrafas com mais de 100 ml de uma substância líquida no avião, a não ser que fizesse o check-in das garrafas.
Há aqui uma coisa que me faz confusão. Supostamente é proibido adorar estátuas e cenas assim no cristianismo, mas as garrafas que os peregrinos adquiriram tinham a forma de uma santa e as igrejas estão cheias de estátuas. É o direito ao contraditório?
Continuando. Isto não agradou aos peregrinos, que reclamaram junto das autoridades presentes, mas felizmente as regras anti-terrorismo também se aplicam a eles.
Agora a pergunta. Quando for criada uma linha de voo para Fátima, será que as autoridades portuguesas vão aplicar estas regras ou vão fazer vista grossa?

{Fonte: Telegraph.co.uk, via Boing Boing}

do not feed the trolls

Outros blogs meus

pesquisar neste blog

 

subscrever

RSS

Newsletter

posts recentes

arquivos

links